Publicado 12 de Outubro de 2015 - 20h25

Por Eric Rocha

Jucimara, de 7 anos, teve problema na coluna diagnosticado em missão de voluntários na Amazônia

César Rodrigues

Jucimara, de 7 anos, teve problema na coluna diagnosticado em missão de voluntários na Amazônia

Uma índia de apenas 7 anos fará uma operação na coluna nesta terça-feira (14) no Hospital Centro Médico de Campinas. O procedimento, que será realizado de graça, foi possível após ela ser atendida por médicos da Associação Expedicionários da Saúde, em uma viagem feita ao Estado do Amazonas em abril.

A pequena Jucimara é da etnia kocama, do tronco tupi-guarani, e mora em uma reserva indígena no município amazonense de Tefé, na região do Médio Solimões. Na ocasião em que a organização não governamental (ONG) esteve por lá, o pai aproveitou e levou o caso dela aos médicos. A reclamação era de que a coluna da garota estava ficando torta demais. A menina foi diagnosticada com uma escoliose congênita, uma malformação da coluna lombar. O tratamento indicado foi a cirurgia.

Jucimara e o pai, Jucimar, já estiveram em Campinas na semana passada e a paciente passou por exames preparatórios. Na sequência, a dupla seguiu para uma Casa de Apoio à Saúde do Índio (Casai) em São Paulo e voltou ontem à cidade.

De acordo com o médico ortopedista e coordenador da Associação Expedicionários da Saúde, Ricardo Affonso Ferreira, Jucimara possuiu vértebras que não se desenvolveram por completo e isso faz com um lado cresça mais do que outro.

“Ainda na barriga da mãe, não houve o desenvolvimento completo na hora de dividir a coluna e ela ficou disforme”, explicou Ferreira, que fará a operação ao lado dos colegas Martin Affonso Ferreira, Aleceneu Bertotti e Paulo Kimaid. “Ela tem uma meia vértebra. Vamos juntar todos esses corpos para virarem um só e fazer com que a curva não cresça ainda mais.” Eletrodos instalados próximos à cabeça e ao pé da paciente vão ajudar a monitorar a medula durante a cirurgia para que nada saia errado e se afaste o risco de qualquer lesão.

A cirurgia só foi possível após uma empresa de equipamentos médicos doar os cerca de dez parafusos e as duas hastes que serão inseridos na coluna de Jucimara durante o procedimento. O Centro Médico de Campinas ficou responsável por ceder a infraestrutura e toda a equipe multiprofissional. O corpo médico, que também não cobrará nada, é do Instituto Affonso Ferreira. A expectativa é que a pequena índia retorne para casa em duas ou três semanas, dependendo de como será a sua recuperação. 

Escrito por:

Eric Rocha