Publicado 11 de Setembro de 2015 - 14h03

Por Paulo César Dutra Santana

Paulo Santana

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Em tempos difíceis, qualquer fio de esperança serve de incentivo para aquele que precisa mudar sua história. E é pensando desta forma que a Ponte Preta se apega a um retrospecto recente para apostar em vitória, hoje, às 11h, diante do Santos, que vem embalado por uma sequência de bons resultados no Campeonato Brasileiro. O time campineiro sabe que, com derrota ou até mesmo um empate, poderá encerrar a 25ª rodada pela primeira vez na zona de rebaixamento.

“A gente sabe o risco que corre porque a situação na tabela não é a que a gente gostaria de estar”, disse o técnico Doriva. “A equipe sabe que precisa reagir o mais rápido possível e a conversa interna que tivemos foi para resgatar esta busca pela vitória”, completou.

Para acabar com o jejum que já dura seis rodadas, o técnico Doriva decidu mexer novamente na equipe. Hoje, a Ponte entrará em campo no esquema 4-2-1-3. Para isso, a zaga estará bem postada com os laterais Rodinei e Gilson formando o setor de proteção ao goleiro Marcelo Lomba com os zagueiros Renato Chaves e Ferron.

O meio-campo terá os volantes Josimar e Fernando Bob, além de Bady com a responsabilidade da armação. No ataque, Biro Biro volta a contar com a companhia de Borges, recuperado de contusão, e Felipe Azevedo, liberado depois de cumprir suspensão automática.

Segundo Doriva, a escolha por Bady – meia que vem sendo bastante questionado pela torcida - tem justificativa. “Ele vinha fazendo bons jogos e estava evoluindo. Com seu estilo e sua força física, dá um importante volume de jogo para nossa equipe. E ainda temos o Adrianinho, que pode entrar e nos ajudar num momento de desgaste”, considera.

Nos últimos anos, a Macaca tem sido uma verdadeira “pedra no sapato” do Peixe. Tanto que a última derrota em casa foi há mais de seis anos, pelo Campeonato Paulista de 2009, quando caiu por 3 a 2, nas quartas de final. Desde então, o Santos nunca mais obteve sucesso atuando em Campinas.

Foram cinco jogos, com apenas um empate e quatro derrotas consecutivas. Neste ano, a Macaca também foi a responsável pelo fim da sequência de 11 jogos de invencibilidade da equipe praiana, então comandada por Marcelo Fernandes. Na oportunidade, a vitória campineria foi por 3 a 1.

No total, 51 confrontos foram realizados no Majestoso, com 20 vitórias da equipe mandante, 23 resultados positivos dos visitantes e apenas oito empates. “A gente conta com o apoio do nosso torcedor. O momento é complicado e precisamos unir todas as forças para seguir em frente”, pede, o treinador Doriva.

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana