Publicado 10 de Setembro de 2015 - 18h47

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

Arte solicitada (mapa de chuvas)

Jaqueline Harumi

Da Agência Anhanguera

[email protected]

A aproximação de uma nova frente fria nos próximos dias volta a causar chuvas em todo o Estado, segundo boletim meteorológico divulgado ontem pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. São previstas até domingo chuvas fracas e fraco moderadas de maneira generalizada, bem como a formação de núcleos de chuva forte acompanhados de rajadas de vento e descargas elétricas. Diante dos acumulados de precipitação observados desde o início da semana, é elevado o potencial para novos transtornos e para o agravamento de problemas já existentes. Por conta do alto índice pluviométrico, estão em estado de atenção na região Campinas, Sumaré, Pinhalzinho, Limeira, Monte Mor, Pedreira, Amparo, Bragança Paulista e Atibaia. A classificação de estado de atenção ocorre por conta do risco de deslizamento de terra.

A meteorologista Ana Ávila, do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), afirmou que hoje há possibilidade de chuva intensa e temporal, com ventos mais fortes, em todo o Estado, sobretudo no Centro-Sul, Sudeste e Leste. A chuva pode começar já pela manhã e durar até a próxima madrugada, com concentração maior durante o dia. Segundo Ana Ávila, não é possível determinar se a intensidade será a mesma da tempestade de segunda para terça-feira, que num período de 72 horas registrou 79,7 mm de chuva, tornando-se o maior índice do ano, na frente do dia 8 de março, quando foi registrado 62,8 mm no período de 24 horas. Pela Defesa Civil, o índice de terça-feira, até as 19h, foi de 85 mm, volume superior aos 64,4 milímetros esperados para todo o mês de setembro.

A Prefeitura de Campinas afirmou através de assessoria de imprensa que o rescaldo deverá prosseguir até a próxima segunda-feira, com possibilidade de extensão diante de novas chuvas fortes. “A Defesa Civil de Campinas especificamente cancelou folgas e abonos dos funcionários e depois de sábado manterá o sobreaviso. Para as cidades da região também foi repassado esse boletim especial a todas as prefeituras para ter reforço”, afirmou o coordenador regional da Defesa Civil, Sidnei Furtado, que conta com 70 funcionários em Campinas mais cerca de 80 plantonistas das secretarias de Serviços Públicos, Habitação e Cidadania, Assistência e Inclusão Social, Guarda Municipal e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Na região, as prefeituras das cidades mais afetadas com o último temporal afirmaram que estão de prontidão. Em Nova Odessa, a equipe da Defesa Civil formada por nove servidores pode ter reforço de servidores da Diretoria de Serviços Urbanos e da Companhia de Desenvolvimento (Coden), inclusive maquinário, e em casos de desastres naturais as secretarias de Educação e Esportes cederão espaços nas unidades escolares e ginásios municipais. Sumaré deixou funcionários de sobreaviso tanto da Defesa quanto da Guarda Municipal, Transportes e das três administrações regionais. Além da equipe da Defesa e Desenvolvimento do Meio Ambiente, Paulínia afirma poder contar com a equipe de Obras e Serviços Públicos. Já Santa Bárbara dOeste disse apenas que caso necessário haverá convocação.

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa