Publicado 09 de Setembro de 2015 - 18h16

Por Bruno Bacchetti

Bruno Bacchetti

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Fotos: Arquivo

Funcionários da empresa terceirizada Works Construção e Serviços, contratada pela Prefeitura de Campinas para fornecer mão de obra de zeladoria em unidades municipais de ensino, estão sem receber o salário de agosto, vencido no último dia 5. Segundo funcionários da empresa, nos últimos três meses o pagamento foi feito com atraso. A Works foi contrata pela Prefeitura em dezembro do ano passado para serviços de zeladoria e supervisão motorizada e possui cerca de 500 trabalhadores. O contrato tem 12 meses de duração, totalizando R$ 21,3 milhões, portanto o repasse mensal realizado pela administração municipal é de R$ 1,7 milhão por mês. Já estão incluídos nesses valores todos os custos operacionais, tributos e trabalhistas. A Prefeitura admite o atraso de dois meses no repasses à empresa, mas diz que ainda assim os pagamentos teriam que ser realizados.

Sob a condição de anonimato, um zelador de uma unidade de ensino afirmou que os atrasos salariais são recorrentes e trazem uma série de transtornos aos trabalhadores. "É o terceiro mês seguido com esse problema salarial. No mês passado o atraso de seis ou sete dias no pagamento. Até agora ninguém recebeu, é complicado, tem gente que paga aluguel. A empresa falou que não tem como efetuar o pagamento enquanto a Prefeitura não depositar o depósito determinado no contrato", afirmou. Segundo ele, além do atraso nos salários, o pagamento do tíquete refeição, que era pago no início do mês, passou para o dia 20. "O vale refeição e alimentação não está atrasado, mas foi transferido para o dia 20. mas se recebesse o pagamento dava para se virar", completou.

De acordo com o previsto no contrato, cada um dos 296 postos, que englobam mais de 500 funcionários, custa de R$ 5,6 mil a R$ 9,9 mil aos cofres municipais. O valor engloba encargos trabalhistas, benefícios e uniformes.

O secretário de Administração, Silvio Bernardin admitiu que a Prefeitura não fez o repasse nos últimos dois meses, e uma reunião está agendada para hoje para tratar do assunto. No entanto, não há uma previsão para o acerto com os funcionários. "A Prefeitura está com dois meses de atraso no repasse, mas isso não dá o direito de a empresa atrasar os salários. De qualquer forma marcamos uma reunião para amanhã com os representantes da empresa".

O diretor da Works Construção e Serviços, Cidimar Fogaça, alega que o valor devido pela Prefeitura é de R$ 6 milhões, o que inviabiliza o pagamento dos funcionários. Ele disse que a empresa somente fará o pagamento aos funcionários quando receber o valor da Prefeitura. "O atraso é de R$ 6 milhões e fica muito difícil para a empresa arcar com essa quantia. Faremos o pagamento tão logo recebamos da Prefeitura. Se fosse um valor menor poderíamos arcar. Mas fica complicado para a empresa", disse Fogaça, que confirmou o encontro com a administração hoje para tratar do repasse.

Escrito por:

Bruno Bacchetti