Publicado 07 de Setembro de 2015 - 17h19

Por Inaê Miranda

FOTOS: Camila

Inaê Miranda

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Os rios Atibaia, Jaguari e Camanducaia entraram em estado de alerta ontem por causa da baixa vazão, segundo boletim divulgado pela Sala de Situação PCJ. Se a chuva prevista para os próximos dias não for suficiente para elevar as vazões, os rios devem voltar ao estado de restrição na quinta-feira. O Baixo Atibaia, que abastece Campinas e outras cidades da região como Americana e Vinhedo, apresentava vazão média de 3,56 metros cúbicos por segundo (m3/s), índice já bem próximo do estado de restrição (3,5 m3/s). O Estado de Alerta não restringe o uso da água ainda, mas chama a atenção dos usuários para a proximidade de uma possível restrição.

De acordo com o boletim da Sala de Situação do PCJ, o Alto Atibaia, que abastece cidades como Bragança Paulista, Atibaia e Itatiba apresentava vazão de 4,15 m3/s, inferior ao limite mínimo de 5,0 m3/s. O Rio Camanducaia apresentava vazão de 1,55 m3/s - abaixo do limite de 2,0 m3/s e muito próximo do estado de restrição (1,5 m3/s). Já o Rio Jaguari apresentava vazão de 4,55 m3/s. O Jaguari entra em estado de alerta quando a vazão está abaixo de 5,0 m3/s e acima de 2,0 m3/s. A bacia do Montante Cantareira (SP) e Jaguari (MG) segue sem restrição, com 4,43 m3/s. Até o dia 26 de agosto, os mananciais das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí estavam em restrição.

O Consórcio PCJ recomenda aos usuários atenção ao uso racional da água. De acordo com regras estabelecidas em resolução da Agência Nacional de Águas, o Estado de Restrição determina reduções de captação da água dos rios. Para abastecimento público e para matar a sede de animais a redução é de 20% do volume diário outorgado. Para uso industrial e irrigação a redução é de 30% do volume diário outorgado. Todos os demais usuários deverão ter o abastecimento paralisados durante o Estado de Restrição.

Cantareira estável

O nível dos reservatórios de água do Sistema Cantareira se manteve estável ontem. As represas operaram com 15% da capacidade, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). De acordo com o boletim do Consórcio PCJ, a vazão do rio Atibaia na captação de Valinhos estava em 4.45 metros cúbicos por segundo. Apesar dos indicadores, a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) indicava sinal verde para o consumo, conforme o sistema de sinalização por cores instituído para alertar a população sobre a situação de abastecimento de Campinas.

“A situação aqui está normal. A gente avalia três fatores: nível do rio, qualidade da água e demanda da cidade de Campinas. A manutenção do sinal verde é porque a quantidade de água do rio está razoável, a qualidade está boa e a demanda também está boa. Dessa forma não há risco de desabastecimento”, afirmou Marcos Lodi, coordenador de comunicação da Sanasa. Segundo ele, a cidade de Campinas tem consumindo em média 3m/3.

Chuva

Segundo o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) estão previstas para hoje e amanhã pancadas de chuvas, com possibilidade de temporais, condição que pode permanecer até sábado.

Escrito por:

Inaê Miranda