Publicado 06 de Setembro de 2015 - 12h25

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

Um mecânico de 42 anos sem habilitação para dirigir carro bateu o veículo que dirigia em um poste no início da madrugada deste domingo (6) na Avenida John Boyd Dunlop, na região da 2ª Delegacia Seccional de Campinas, para onde acabou encaminhado por estar transtornado e atrapalhar o socorro de sua mulher e seus dois filhos.

De acordo com o boletim de ocorrência, o acidente aconteceu por volta de 0h30, destruiu o veículo, um Ômega, e causou pequenos danos no poste. A companheira do motorista, uma doméstica de 43 anos e o filho de 14 anos ficaram presos nas ferragens, mas tiveram ferimentos leves, e a filha caçula, de 10 anos, ficou em estado de choque. As vítimas foram socorridas para o Hospital Ouro Verde, enquanto o mecânico, agressivo e com olhos avermelhados, chegou a partir para cima de uma policial civil e foi contido com força moderada. No teste do bafômetro, foi registrado 0,06 mg/L, dentro do limite legal, no entanto, a Polícia Militar autuou o mecânico por não ser habilitado para condução de veículos.

O carro da família, que mora no Jardim Novo Flamboyant, foi guinchado pela concessionária AutoBAn e encaminhado ao pátio da delegacia para passar por perícia. A Polícia Civil elaborou boletim de ocorrência de lesão corporal na direção de veículo automotor, direção sem habilitação e resistência, para instauração de inquérito pelo 11º Distrito Policial.

Outro acidente

Também na John Boyd, na altura da Rua Padre João Batista de Carvalho, foi registrado outro acidente envolvendo dois veículos na manhã do sábado, o que provocou lentidão na avenida das 10h30 às 12h num trecho de 300 metros. Segundo a Polícia Militar, uma metalúrgica de 32 anos teve o carro atingido por um Corsa que descia a avenida e que supostamente não esperou o semáforo abrir. Com o impacto da batida, o Renault da metalúrgica foi projetado para o canteiro da John Boyd e o Corsa, que estava com cinco ocupantes, capotou. Uma equipe de resgate do Corpo de Bombeiros retirou três vítimas do Corsa, mas segundo a PM, todas passam bem.

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa