Publicado 04 de Setembro de 2015 - 18h04

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

Fotos: Jaqueline Harumi

Jaqueline Harumi

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Ao menos treze assaltantes armados invadiram ontem de madrugada um galpão da Azul Cargo, no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, após dois deles se passarem por entregadores de encomendas para o porteiro, que acabou autorizando o acesso. Segundo o delegado Oswaldo Diez Júnior, da delegacia de Polícia Civil do aeroporto, aproximadamente 15 funcionários da empresa foram rendidos na ação, que começou 3h45 e durou cerca de 20 minutos. O valor em produtos levados era levantado no fim da manhã pela empresa, que preferiu não divulgar detalhes do caso.

De acordo com Diez Júnior, o alvo da quadrilha seria carga de eletrônicos, que nunca existiu, e o bando acabou fugindo com computadores de uso da companhia aérea e caixas de produtos de baixo valor, como desodorantes, bronzeador e batata frita. Foram usados no assalto um furgão branco e um caminhão-baú pequeno, mas a polícia ainda investiga detalhes dos veículos e características dos autores, já que foram levados computadores do sistema de monitoramento. “Dos três que renderam o vigia, dois estavam com armas, o que possibilitou a entrada de mais onze a doze indivíduos, alguns com peruca, meio disfarçados”, relatou o delegado, que afirmou que parte dos assaltantes estava com armas de cano curto.

Para Diez Júnior, os criminosos receberam informação falsa para ter escolhido o galpão em questão, visto que no local apenas são armazenadas mercadorias de baixo valor agregado. “Começaram a abrir as caixas que estavam no saguão e a subtrair objetos aleatórios. Tinha uns que pegavam as caixas fechadas e jogavam dentro dos veículos assim mesmo”, contou conforme relato das vítimas. A investigação deve se apoiar em imagens de câmeras de monitoramento dos galpões de outras empresas e também das rodovias de acesso ao aeroporto, já que as vítimas não souberam informar o destino que os veículos tomaram e além do acesso para a Miguel Melhado de Campos e Santos Dumont, do terminal aeroportuário é possível acessar estrada de terra para bairros da zona rural de Indaiatuba e da região do Ouro Verde, em Campinas.

Questionada sobre plano de segurança prometido para o aeroporto após o assalto milionário registrado no Terminal de Cargas de Importação, no início de fevereiro deste ano, a concessionária Aeroportos Brasil Viracopos afirmou que investe constantemente na segurança do sítio aeroportuário, que conta com 672 câmeras e 79 postos de vigilância, incluindo os terminais de passageiros e cargas, vias internas, áreas de ampliação e bolsões de estacionamento. A concessionária lembrou também que as ações de segurança do aeroporto são integradas com as forças policiais presentes no aeródromo – além da base da Polícia Militar na área, há um posto da PM dentro do saguão do Terminal de Passageiros, que abriga delegacias das polícias Civil e Federal. No entanto, Aeroportos Brasil Viracopos disse que a segurança do local em questão é de responsabilidade da própria companhia aérea, mas que colabora com as investigações e já cedeu as imagens das câmeras de segurança à polícia.

Por meio de nota, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras não quis comentar o ocorrido “para não atrapalhar as investigações policiais”, afirmando que está colaborando com o trabalho conduzido pela Polícia Civil.

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa