Publicado 04 de Setembro de 2015 - 11h54

Por Adagoberto F. Baptista

Disputa?

Homem desafia mulher que não afunda pelo recorde brasileiro

Lauro SAmpaio AAN/

A comerciante Maria da Graça Silva Sakamoto 66, conhecida como Graça Mariah, de Indaiatuba, marcou no último dia 31 de agosto o recorde brasileiro de flutuação na água, permanecendo 30 minutos dentro de uma piscina sem se afundar. O recorde foi acompanhado por fiscais da Secretaria Municipal de Esportes e registrado pelo sistema de video-monitoramento- todo o material será endereçado para o Ranking Brasil, o livro brasileiro dos recordes.

"Como não tenho adversários, fiz meia hora apenas para ser registrado oficialmente no ranking", explicou Mariah, que diz conseguir permanecer flutuando por várias horas.

Porém, a tranquilidade da mulher que não afunda pode ser quebrada por um campineiro que reside em Hortolândia, o técnólogo em Recursos Humanos, Rodrigo César Marqui, 35, que entrou em contato com a redação e convidou Graça para uma disputa.

Marqui relata que consegue flutuar na água por várias horas e que faz isso desde os cinco anos de idade, quando começou a treinar natação. "Vi reportagens que descreveram o recorde da Graça e resolvi desafiá-la", conta.

O "possível" desafiante diz que já chegou a boiar no mar e em lagoas profundas, e que não tem uma explicação para isso, já que sua compleição física se difere muito da mulher que não afunda. Ele pesa 120 kgg e tem 1.65m de altura.

"Eu não sei de onde vem essa minha facilidade em ficar boiando, pode ser até mesmo em águas revoltas. Já treinei provas em piscinas de longa distância, de 10km, mas nunca ninguém me explicou de onde vem esse meu dom", atesta.

O tecnólogo diz que isso para ele- de boiar e não afundar- é algo comum e que ele conseguiria permanecer até 24h nessa posição dentro de uma piscina. "É só marcar o desafio", encerrou ele.

Recorde marcado

A comerciante Graça Mariah, moradora em Indaiatuba, estabeleceu no último dia 31, no Centro Esportivo de Indaiatuba, o recorde brasileiro de flutuação na água- ela permaneceu 30 minutos dentro de uma piscina sem se afundar. Desde 2007, a comerciante, que é proprietária de um salão de beleza na cidade, flutua na água, seja em piscinas ou no mar, na linha vertical, mas nunca marcou o tempo oficialmente, para que ele pudesse entrar no livro do Ranking Brasil.

Ela disse para o Correio que não tem concorrentes na modalidade feminina e que já chegou a ficar uma hora flutuando em pé, na piscina de sua casa. Ela garante que consegue ficar até mais de duas horas nessa posição numa piscina sem se cansar, e que só pode afundar por impacto.

Mariáh revelou que conhece apenas um homem do Rio do Grande do Sul que também flutua na água, mas que seu tempo é de apenas 10 minutos.

A recordista afirma ter descoberto que tinha um dom natural de não afundar na água por acaso, numa reunião entre amigos, em 2007, num clube de Jundiaí. "Estava numa piscina conversando com um grupo de amigos, quando um deles me disse que eu estava boiando em pé há mais de meia hora. O fundo da piscina tinha 2.20m, eu fiquei assustada, sou baixinha e nem tinha percebido a situação".

Ranking proíbe desafio entre homem e mulher

A assessoria do Ranking Brasil informou nesta sexta-feira, 04, que o ranking é dividido entre masculino e feminino e que não é possível uma mulher disputar recorde com um homem.

De acordo com o Ranking, o recorde brasileiro masculino de flutuação na água pertence a um gaúcho e foi estabelecido em 2004. Luis da Silva Atanásio, morador em Taquara, permaneceu 10 minutos dentro de uma piscina boiando e estabeleceu o recorde. Ele nunca teve desafiantes. Uma funcionária do RAnking Brasil, identificada apenas como Fátima, disse que caso Márcio Marqui queira disputar o recorde brasileiro de flutuação na água, ele terá que tentar bater o recorde de Atanásio. A possibilidade dele entrar na piscina para disputar com uma mulher está vedada" pelos diretores.

Com relação a Graça Mariah, o ranking informou que o recorde dela ainda não está catalogado, porque é aguardada ainda a chegada do material de filmagens e de cronometragem.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista