Publicado 04 de Setembro de 2015 - 18h49

Por Paulo Santana

Borges de desesperou ao ver que o árbitro não marcou pênalti a favor da Macaca

Elcio Alves/AAN

Borges de desesperou ao ver que o árbitro não marcou pênalti a favor da Macaca

Ainda lamentando a péssima atuação do pernambucano Emerson Luiz Sobral na derrota para o Cruzeiro, por 2 a 1, quarta-feira (2), no Majestoso, a Ponte Preta entrou com pedido de anulação da partida no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Os advogados do clube juntaram a documentação e protocolaram, nesta sexta-feira (4), o pedido, que poderá ser apreciado em até 10 dias.

A tese da Ponte se apóia no Capítulo 7 do CBJD que trata "das infrações relativas à arbitragem". O artigo 259 prevê suspensão, multa e até a anulação da partida quando o juiz "deixar de observar as regras da modalidade".

"Apresentamos o pedido com base no que diz o próprio CBJD e, ao afastar o juiz, a CBF reconheceu o erro", argumenta Giuliano Guerreiro, diretor jurídico da Ponte Preta. "É como uma pessoa pegar um carro e sair por aí dirigindo sem ter qualificação para isso", compara.

O parágrafo primeiro do artigo 259 diz, textualmente, que "a partida, prova ou equivalente poderá ser anulada se ocorrer, comprovadamente, erro de direito relevante o suficiente para alterar seu resultado". Como os erros evitaram um pênalti e um gol da Ponte, os advogados entendem que é possível obter vitória no processo. "A CBF admitiu que eles não tinham capacidade técnica para trabalhar naquela partida", argumenta Guerreiro, que irá ao Rio de Janeiro, terça-feira (8), para um encontro com Sérgio Corrêa, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF.

A Macaca também está em estado de alerta para o jogo de domingo (6). É que o mineiro Cleisson Veloso Pereira, sorteado para o jogo com a Chapeconse, na Arena Condá, apitou apenas uma partida da Série A do Brasileiro deste ano. Foi na vitória do Fluminense por 2 a 0 sobre o Coritiba, pela 5ª rodada, no dia 4 de junho, há três meses.

Ele tem 36 anos de idade, é administrador de empresas e se tornou árbitro em 2003. No total, esteve em campo em 22 jogos em 2015, mas em quase todos atuou como quarto árbitro (aquele que fica conversando com os treinadores à beira do campo). "Não vou dizer que preocupa, mas o fato de ter pouca experiência nos deixa um pouco mais atentos sim", garante o diretor jurídico alvinegro.

Como dono do apito, Cleisson só atuou em outras seis partidas em 2015. Uma, da Série B (Atlético-GO 1x1 Mogi Mirim), duas da Série D (Resende 3x0 Red Bull e Volta Redonda 0x2 Lageadense), uma pela segunda fase da Copa do Brasil (Jacuipense 0x2 Náutico), uma pelo Brasileiro Sub-20 (Cruzeiro 2x0 Botafogo) e outra pela Copa BH Sub-17 (América-MG 1x0 Cruzeiro).

NOTAS

Pronto!

O zagueiro Fábio Ferreira, que foi contratado do Criciúma e passou por grandes clubes do Brasil, foi apresentado, nesta sexta, e já fará parte da delegação que viaja, neste sábado (5), para enfrentar a Chapecoense, domingo, em Chapecó. "Estou muito feliz por voltar ao futebol paulista e pronto para ajudar a Ponte", garantiu.

Camisa 10

Depois de mais uma atuação discreta, o meia Bady perdeu a posição de titular. O técnico Doriva optou por Juninho para recompor o meio-campo que perdeu o volante Fernando Bob pelo terceiro cartão amarelo. Josimar volta ao time e Elton completa o setor.

Dúvida

O atacante Borges voltou a sentir desconforto muscular na coxa e pode ficar fora do jogo de domingo. Cesinha, Diego Oliveira e Felipe Azevedo devem formar o ataque.

Escrito por:

Paulo Santana