Publicado 08 de Setembro de 2015 - 9h52

Por Agência Estado

Com a dispensa coletiva da seleção olímpica, a estratégia dos clubes é tentar evitar que algum atleta sofra retaliações da CBF e não volte a ser convocado por Dunga

Frace Press

Com a dispensa coletiva da seleção olímpica, a estratégia dos clubes é tentar evitar que algum atleta sofra retaliações da CBF e não volte a ser convocado por Dunga

A seleção brasileira olímpica, formada por jogadores com até 23 anos, estará completa para o amistoso contra a equipe Sub-21 da França, nesta terça-feira, em Le Mans, às 16 horas (de Brasília). O zagueiro Marlon e o atacante Kenedy voltaram a treinar e estão à disposição do técnico Rogério Micale, que dirige o time quando Dunga estiver ao mesmo tempo com a seleção principal.

Em todos os treinamentos, a equipe buscou uma forte pressão na saída de bola do adversário e o cuidado com a posse da bola para propor as ações ofensivas. O quarteto ofensivo formado por Felipe Anderson, Kenedy, Luan e Alisson terá muita mobilidade, com a troca constante de posições. Essas são as principais características da equipe que vai buscar o inédito ouro nos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

A lista, no entanto, não está fechada. Cinco jogadores que levaram o Brasil ao vice-campeonato no Mundial Sub-20 no mês de junho, na Nova Zelândia, estão no grupo. As presenças de Jean, Marlon, Jorge, Danilo e Andreas Pereira indicam também que podem ser chamados atletas mais novos, não só aqueles com larga rodagem na Europa e próximos do limite de idade.

“Em conversa com o Dunga, a gente viu a oportunidade de promover o retorno desses meninos para dar continuidade ao processo que se iniciou na sub-20. Se eles demonstrarem condição, podem até ser chamados”, explicou o treinador.

O Brasil deve começar o jogo com Ederson; Maicon, Wallace, Dória e Wendell; Rodrigo Caio, Lucas Silva e Felipe Anderson; Kenedy, Luan e Alisson.

Escrito por:

Agência Estado