Publicado 11 de Setembro de 2015 - 5h30

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulada em 12 meses atingiu 9,53% em agosto - bem acima do teto da meta para o ano todo, que era de 6,5%, informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em um ano, o IPCA acumula 7,06%, a maior taxa desde 2003 (7,22%).

Em agosto, a inflação ficou em 0,22% - a menor para o mês desde 2010. Em julho deste ano, o índice havia fechado em 0,62% e em agosto do ano passado, em 0,25%. A queda do índice de agosto foi provocada por recuos em cinco dos nove grupos de despesas - como o de transportes, que tive deflação (queda de preços) de 0,27%, após uma alta de 0,15% em julho. Outro grupo com contribuição importante para o recuo do IPCA foram os alimentos, que passaram de uma inflação de 0,65% em julho para uma ligeira deflação (0,01%) em agosto, com destaque para batata (-14,75%), tomate (-12,88%) e cebola (-8,28%). Mas foram as despesas com habitação que tiveram o impacto mais importante no recuo da taxa de julho para agosto: nesse grupo, a inflação desse grupo caiu de 1,52% para 0,29%, resultante, principalmente, da queda de preços da energia elétrica (-0,42%). (Agência Brasil)