Publicado 05 de Setembro de 2015 - 19h05

No mês dedicado a reverenciar a memória e obra do maestro e compositor campineiro Antônio Carlos Gomes (1836-1896), o maior nome da cena operística da América Latina, uma grata surpresa: a descoberta de um quadro quase desconhecido que retrata o artista jovem, com 30 anos, e pintado por outro ícone das artes em Campinas, o francês Hercule Florence, campineiro por escolha afetiva, que viveu na cidade por 50 anos. “Estava em uma reunião no Centro de Integração Empresa e Escola (CIEE), em São Paulo, e comentei sobre as atividades do Mês Carlos Gomes, em homenagem ao maestro. Alguém então comentou que tinha visto um quadro retratando o compositor no acervo do Museu do CIEE. Busquei mais detalhes e localizei a obra”, conta o presidente da Academia Campinense de Letras (ACL), Agostinho Toffoli Tavolaro.

Em suas pesquisas Tavolaro descobriu que trata-se de um retrato feito por Florence em 1866. “Carlos Gomes nasceu em 1836, estaria então com 30 anos quando foi feito o retrato, já com alguns cabelos grisalhos, mas mais jovem. Os outros quadros e fotografias que existem dele mostram um Carlos Gomes sempre com mais idade e cabelos e barba totalmente brancos”, aponta o presidente da ACL.

Segundo Tavolaro, o quadro é praticamente desconhecido dos campineiros e possivelmente o único que retrata o compositor com essa idade. Foi doado ao Museu do CIEE em 2011 pelo casal Jayme de Ulhôa Cintra e Toledo Piza e Maria de Fátima Gonçalves Rocco. “É de um retrato em técnica mista do maestro Antônio Carlos Gomes, feito em 1866, por Antoine Hercule Romuald Florence, mais conhecido como Hercule Florence, medindo 43 x 54 centímetros aproximadamente, de propriedade do casal...” , diz a procuração feita pelos doadores a um escritório de advocacia para representá-los no processo de doação. De acordo com a artista plástica Marli Stracieri, o artista fez o retrato no papel, com lápis (grafite) ou crayon e aquarela, por isso a definição de técnica mista.

O quadro é desconhecido até mesmo por descendentes de Hercule Florence e pesquisadores de sua obra. “Não sabia nada respeito do quadro. Interessantíssimo, uma descoberta que vai engrandecer a festa no Mês Carlos Gomes”, diz o trineto José Eduardo Gagliardi Florence Teixeira. Ele cita que a ligação da família Florence com Carlos Gomes era forte. No centenário de nascimento do maestro, em 1936, Paulo Florence, filho do segundo casamento de Hercule, com Carolina Florence, compôs o Hino a Carlos Gomes, com letra de Corrêa Junior. “Não tinha conhecimento desse quadro. Gostaria de vê-lo. É uma super descoberta. Fico feliz, pois não se tem muitas obras de Hercule Florence. E ainda retratando Carlos Gomes”, comenta a trineta Teresa Cristina Florence.

A historiadora Days Peixoto, autora do livro biográfico O Viajante Hercule Florence - Águas, Guanás e Guaranás, também desconhecia tal obra. “Que ótima essa descoberta. Hercule desenhava e pintava muito bem, usando várias técnicas. É um grande achado, que une dois ícones das artes”, completa.

Denise Maricato, sobrinha-trineta de Carlos Gomes, também comemora a descoberta. “Não sabia desse quadro. Um achado muito oportuno, que representa um ganho nas comemorações do Mês Carlos Gomes. Uma loucura essa coincidência, parece ter a mão dele nisso”, comenta, citando que pretende entrar em contato com Tavolaro para também fazer uma cópia da obra. Mais informações sobre o quadro devem ser direcionadas ao presidente da ACL.