Publicado 08 de Setembro de 2015 - 5h30

Um assalto a uma igreja evangélica acabou com o filho de uma missionária do culto baleado na tentativa de defendê-la do criminoso, que foi morto pela Polícia Militar (PM), ontem à noite no Parque Residencial Virgílio Basso, em Sumaré. De acordo com o relato de fiéis, o roubo foi anunciado cerca de 20 minutos depois do início do culto, que começa às 19h30. Havia ao menos 20 frequentadores que foram orientados pelo assaltante, identificado como Rogério Dias dos Reis, de 26 anos, a entregar dinheiro, alianças e celulares. Reis teria agredido a missionária, de 64 anos, com uma coronhada porque ela negava ter uma corrente de ouro. Diante da agressão, o filho dela, de 30 anos, partiu para cima do assaltante com um amolador de facas e levou dois tiros na barriga. O pai do rapaz saiu da igreja em busca de ajuda e parou uma viatura da Polícia Militar que passava naquele momento. O criminoso atirou na direção dos policiais, que revidaram, foi atingido e morreu na hora. Segundo familiares do rapaz baleado, ele passou por cirurgia e está fora de perigo, mas até ontem à tarde permanecia sedado no Hospital Estadual. O crime foi uma grande surpresa para fiéis da igreja, que está há cerca de um ano no e tem como frequentadores moradores da região do Jardim Basilicata, onde ficava a igreja antes. “Em 25 anos que frequento os cultos, nunca teve nada”, contou a agente de saúde Sirley Pereira de Jesus, de 38 anos, que não estava no culto no dia do crime. Um fiel de 67 anos, amigo da família da missionária, relatou à reportagem que o suspeito já estava na igreja. “Ele disse ‘vou te matar, vou te matar’ e deu uma coronhada na cabeça dela”, lembra. A ocorrência foi registrada no Plantão Policial, que apreendeu as pistolas de Reis e do policial militar. (Jaqueline Harumi/Da Agência Anhanguera)