Publicado 06 de Setembro de 2015 - 5h30

O professor de ciências políticas da Universidade Presbiteriana Mackenzie Reinaldo Dias afirmou que o PSDB poderia aproveitar melhor o momento difícil do PT. No entanto, não consegue capitalizar com a crise devido a dissidências dentro do próprio partido. “O PSDB está perdendo o bonde da história.” Dias disse ainda que o trabalho constante do PT com militantes e a grande ressonância da sigla nas duas grandes universidades de Campinas, Unicamp e PUC, são os principais motivos para a sigla seguir com grande número de filiados na cidade. “A militância petista é estruturada, diferentemente dos outros partidos.” Para Valeriano Costa, cientista político da Unicamp, o movimento de filiações não terá interferência nas eleições municipais. “Torcida não ganha jogo. E do ponto de vista das eleições, o PT ainda está numa situação muito ruim.” Costa explicou que, ao contrário de outros partidos que apostam na figura dos políticos para ganharem a eleição, o PT sempre trabalhou o partido como uma marca. “Muita gente na cidade não sabe qual o partido do Jonas. Mas lembra que foi o Marcio Pochmann que disputou as eleições pelo PT.” O Partido dos Trabalhadores, porém, está com a imagem extremamente desgastada pelos escândalos e dificilmente reverterá o cenário na cidade. “A verdade é que hoje o PT não tem nem um nome certo para a disputa.” (CP/AAN)