Publicado 11 de Setembro de 2015 - 5h30

O São Paulo anunciou ontem a demissão de Alexandre Bourgeois, que havia sido contratado para ser o CEO (Chief Executive Officer) por indicação do empresário Abílio Diniz. A justificativa oficial foi a falta de resultados compatíveis e de apresentação de soluções após três meses de trabalho.

Fontes ouvidas pela reportagem, no entanto, apontam que uma das razões da demissão foi o vazamento de informações. O empresário nega as acusações e afirma que irá se pronunciar no "momento adequado".

Alexandre Bourgeois foi contratado para implantar um novo plano de gestão com metas em todos departamentos do clube. O objetivo principal era reduzir custos para amenizar a crise financeira, além de profissionalizar o São Paulo. Sua proposta para reformular o modelo de administração definia a divisão de poder entre o presidente e um Conselho de Administração.

O presidente Carlos Miguel Aidar preferiu a solução "Pró São Paulo", do Instituto Áquila. De acordo com o presidente, o processo de profissionalização vai continuar. Bourgeois fez carreira como executivo de bancos nos EUA, na Inglaterra e no Brasil e foi gestor da Teisa, fundo de investimentos que fez a negociação de Neymar com o Barcelona.

Embora esteja recuperado de uma lesão no joelho direito, Luis Fabiano não vai atuar contra o Grêmio, domingo. O atacante foi novamente julgado pelo STJD pela expulsão contra o Sport e terá de cumprir a pena de um jogo de suspensão. (AE)