Publicado 04 de Setembro de 2015 - 18h54

Por João Nunes

Bem-Vindo a Nova York

Divulgação

Bem-Vindo a Nova York

'Bem-Vindo a Nova York' (Max, 18h45, 16 anos), de Abel Ferrara (2013), tem inúmeros problemas - a nudez gratuita e mais de uma vez de Gérard Depardieu é o menos pior deles. A força do filme está no fato de se basear num escandaloso fato que, há alguns anos alimentou as manchetes sensacionalistas em todo mundo. Mr. Deveraux (Depardieu) é um homem poderoso que movimenta milhões de dólares todos os dias e controla o destino econômico de nações, mas é controlado pelos próprios impulsos sexuais. É a história de um sujeito que está para ser indicado para ser o chefão do Fundo Monetário Internacional (FMI), mas perde a chance pela trivialidade de se vê atraído pela camareira do hotel onde está hospedado na cidade americana do título em português. Um vexame. Nessas horas, a melhor saída é se manter distante da imprensa. Deveraux enfia a cara arrogante no escândalo e desperta muita reação negativa junto à imprensa e o público. O fato é que desejamos a punição com o fim de desmascará-lo. Mas ter acabado com a carreira dele não deixa de ter um gosto pela justiça.

Escrito por:

João Nunes