Publicado 11 de Setembro de 2015 - 11h38

Por Marylane Damasceno, Especial para a AAN

A igreja matriz de Santa Ana, primeiro templo construído na cidade

Divulgação

A igreja matriz de Santa Ana, primeiro templo construído na cidade

Assim como algumas pequeninas cidades espalhadas pelo Brasil, Santana de Parnaíba esconde por suas ruas, histórias que devem ser exploradas por aqueles que têm curiosidade em saber um pouco mais mais sobre o descobrimento do nosso País. Lugar aconchegante, Santana de Parnaíba é perfeita para tirar um tempo do estresse das metrópoles e relaxar, flanando entre seus pontos turísticos e históricos.

Oposto das cidades grandes, logo ao entrar no município, é possível sentir tranquilidade. Nada de ruas com carros apressados, congestionamentos, buzinaço, motores a mil e clima pesado causado pela poluição. E como brinde, toda a beleza das casas e comércio, que mantêm a essência por serem ainda construções coloniais e pintadas em cores vivas. A visão desse Brasil colonial dá um toque de alegria e aconchego.

Mas o que há para fazer em uma cidade tão pequena e pitoresca? As opções são inúmeras. O povo acolhedor e cativante, a riqueza da cultura e história, os eventos tradicionais e a proximidade com Campinas (77km) fazem de Santana de Parnaíba uma opção mais que certeira para fugir da loucura do dia a dia.

Um pouco da história

Os tapetes de serragem

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As águas do Rio Tietê levaram à cidade os Bandeirantes, e com eles, Santana de Parnaíba se transformou em uma das principais referências históricas da colonização. Sua história se iniciou em 1561, quando o português Manuel Fernandes Ramos se instalou na cidade ao encontra-la em uma expedição comandada por Mem de Sá, o terceiro governador-Geral do Brasil.

Não demorou muito para que o vilarejo fosse elevado a povoado e logo foi construída uma capela, posteriormente homenageada a Sant’Ana, pela esposa de Manuel, Suzana Dias, tornando-a Igreja Matriz. A partir daí, a cidade foi se expandindo. Os acontecimentos históricos relevantes não param por aí. No século XX, a Light & Power Company construiu na cidade a primeira usina hidrelétrica do País, a primeira também a abastecer São Paulo.

Com mais de duzentas casas e construções erguidas nos séculos XVII e XVIII, Santana de Parnaíba tem o maior conjunto arquitetônico do Estado, contando com 209 edificações tombadas pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) além de outros pontos turísticos abertos a visitação.

Como tradição, a praça central é o local que reúne os moradores e visitantes na maior parte do tempo. É nela que se encontram monumentos como o Largo da Matriz, um colorido coreto ainda usado como palco de serestas, aos domingos, a feirinha de artes, e em seu redor, o Museu Anhanguera e o restaurante São Paulo Antigo.

Comida com história

Quem não abre mão da culinária brasileira deve visitar o restaurante São Paulo Antigo. Fundada em 1977, a casa foi instalada em um casarão de uma antiga fazenda do século XVIII, com paredes de taipa e assoalho envelhecido. No cardápio, pratos típicos como feijão tropeiro, purê de abóbora com carne seca, frango atolado, tutu de feijão, torresmo, entre inúmeras iguarias. Porém, duas especialidades são as queridinhas dos clientes: o leitão a puruca e o suco de laranja com graviola, que tem um sabor incomparável. Mantendo o costume local, os pratos são preparados e servidos de forma tradicional: em panelas de pedras.

Informações

É possível encomendar o leitão a pururuca todos os dias da semana para grupos de 10 pessoas, mas é necessário reservar com 48h de antecedência.

Preços: Entre segunda e sexta-feira: R$ 31,80 por pessoa (12 opções de saladas, 21 pratos quentes e dez sobremesas)

Finais de semana e feriados: R$ 49,80 por pessoa (12 opções de saladas, 21 pratos quentes incluindo o Leitão a Pururuca e dez sobremesas). Crianças até 5 anos são isentas e entre 6 e 11 pagam meia tarifa.

Festas

Santana de Parnaíba se agita nas clássicas festas populares e feriados religiosos. As que mais atraem turistas e curiosos, são o Carnaval e o Corpus Christi. Anualmente, turistas de todas as regiões vão à cidade para prestigiar o Carnaval Parnaibano, o qual tem como principal atração a homenagem ao Grito da Noite.

Durante o evento, os moradores saem pelas ruas fantasiados de fantasmas, caveiras e monstros tocando zabumbas (tipo de percussão), caixas e chocalhos. E posteriormente, o espetáculo teatral da Paixão de Cristo é encenado por moradores e atores da região e apresentado às margens do Rio Tietê.

O Corpus Christi também fez da cidade uma referência por manter a tradição de ornamentar as ruas com os tapetes coloridos produzidos com serragens, cal e areia, dando vida e cor a procissão religiosa.

Museu do Anhanguera

Endereço: Largo da Matriz, 9, Centro Histórico, Santana de Parnaíba

Fones: (11) 4154-1874 e 4154-6723

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 8h às 17h.

Museu Parnaibano de Música Benedicto Antônio Pedroso

Endereço: Praça da Bandeira, 37, Centro Histórico, Santana de Parnaíba

Fones: (11) 4154-5666 e 4154-6114

Horários de visitação: de segunda a sexta-feira, das 8h

às 17h sábados, das 10h

às 16h domingos, das 10h

às 17h

São Paulo Antigo

Endereço: Rua Álvaro Luiz do Vale, 66, Santana de Parnaíba

Fone: (11) 4154-2726

Horário de Funcionamento

segunda a sexta: de meio-dia às 15h

sábados e domingos: de meio-dia às 16h

Feriados: de meio-dia às 16h

Igreja Matriz de Santa Ana

Endereço: Largo da Matriz, s/n, Centro, Santana de Parnaíba Telefone: (11) 4154-2401

Funcionamento: das 8h ao meio-dia, e das 13h às 19h

Missas: segunda a sábado - 19h e aos domingos,

às 10h e 18h30

Escrito por:

Marylane Damasceno, Especial para a AAN