Publicado 10 de Setembro de 2015 - 17h08

Por Agência Estado

"Que Horas Ela Volta?" vai representar Brasil no Oscar

Divulgação

"Que Horas Ela Volta?" vai representar Brasil no Oscar

O longa-metragem Que Horas Ela Volta?, de Anna Muylaert, vai ser o representante brasileiro no Oscar 2016. O filme foi escolhido pela Comissão Especial de Seleção do Ministério da Cultura (MinC) para concorrer a uma vaga na categoria de Melhor Filme em Língua Estrangeira. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (10) pelo coordenador-geral de Articulação, Formulação e Difusão da Secretaria de Audiovisual do MinC, Lula Oliveira, representante do ministro da Cultura, Juca Ferreira.

Além do filme selecionado, concorreram à indicação os longas A história da eternidade, de Camilo Cavalcante; Alguém Qualquer, de Tristan Aronovich; Campo de Jogo, de Eryk Rocha; Casa Grande, de Fellipe Barbosa; Entrando Numa Roubada, de André Moraes; Estranhos, de Paulo Alcântara; e Estrada 47, de Vicente Ferraz.

O filme indicado vai passar agora pela avaliação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que vai selecionar nove produções estrangeiras, considerando os pré-indicados. Desse grupo, saem os cinco finalistas. O vencedor é anunciado no dia da festa do Oscar em Los Angeles, nos Estados Unidos, marcada para 28 de fevereiro de 2016.

Longa-metragem mostra Brasil em transição

Que Horas Ela Volta? foi lançado no dia 27 de agosto e ganhou os prêmios de Melhor Atriz no festival de Sundance e de Melhor Filme do Público no de Berlim. A produção também teve os direitos de distribuição vendidos para mais de 20 países. O elenco traz os atores Regina Casé, Michel Joelsas, Camila Márdila, Karine Teles e Lourenço Mutarelli.

No filme, a pernambucana Val (Regina Casé) se muda para São Paulo para dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica, que deixa no interior. Val se torna babá de Fabinho (Michel Joelsas) e passa a morar na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino vai prestar vestibular, Jéssica (Camila Márdila) lhe telefona, pedindo ajuda para ir a São Paulo, com o objetivo de fazer a mesma prova. Os chefes de Val aceitam receber a menina, mas a situação se complica quando percebem que a jovem não segue o protocolo esperado para sua posição social.

Brasil no tapete vermelho

Desde 1962, 45 filmes brasileiros já foram inscritos para o Oscar e quatro foram indicados: O Pagador de Promessas, O Quatrilho, O Que É Isso, Companheiro? e Central do Brasil. Nenhum deles ganhou o prêmio. O filme Orfeu Negro, produção conjunta de Brasil, Itália e França, dirigida pelo francês Marcel Camus, levou o Oscar, mas concorreu pela França. O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias, de Cao Hamburger, foi pré-indicado pela Academia, que o considerou um dos nove melhores entre os 63 filmes inscritos em 2008, mas não conseguiu ficar entre os cinco finalistas.

Os filmes brasileiros selecionados para concorrer à indicação nas últimas seis edições do Oscar foram: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro (2014); O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho (2013); O Palhaço, de Selton Mello (2011); Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora É Outro, de José Padilha (2010); Lula, O Filho do Brasil, de Fábio Barreto (2010); e Salve Geral, de Sérgio Rezende (2009).

Escrito por:

Agência Estado