Publicado 11 de Setembro de 2015 - 12h19

Por Moara Semeghini

Segundo o premier em uma entrevista à CNN na quarta-feira, a resolução da crise migratória não pode ser resolvida apenas recebendo novos refugiados

AFP

Segundo o premier em uma entrevista à CNN na quarta-feira, a resolução da crise migratória não pode ser resolvida apenas recebendo novos refugiados

A França vai atacar a Síria, segundo o primeiro-ministro Manuel Valls. Ele justificou a ação que tentará se livrar do ditador Bashar al-Assad e tentar combater o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) seria a única forma de impedir o fluxo de refugiados para Europa.

Segundo o premier em uma entrevista à CNN na quarta-feira, a resolução da crise migratória não pode ser resolvida apenas recebendo novos refugiados.

"No momento há milhões de sírios que estão deslocadas Há campos de refugiados no Líbano, na Jordânia e na Turquia recebendo de 4 a 5 milhões de sírios. E não vamos receber de 4 a 5 milhões de sírios, de modo que o problema tem que ser tratado na fonte", afirmou Valls. "Estes são assuntos muito difíceis. E, claro, na Síria, até não encontramos uma solução política, não destruirmos este grupo terrorista, Estado Islâmico, e não nos livramos de Bashar al-Assad, não vamos encontrar uma solução", acredita.

Ainda de acordo com o primeiro-ministro, ele irá ao Parlamento francês na terça e deverá anunciar “os objetivos da França e que haveria ataques”.

Escrito por:

Moara Semeghini