Publicado 08 de Agosto de 2015 - 15h06

Por Inaê Miranda

FOTOS: Divulgação

Inaê Miranda

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

A primeira etapa da ampliação do Anel Viário Magalhães Teixeira (SP-83) deve ser concluída em novembro, segundo anunciou o governador Geraldo Alckmin (PSDB), em visita a Campinas, no último sábado. O novo trecho fará a ligação entre as Rodovias Anhanguera (SP-330) e Bandeirantes (SP-348), no trecho entre Campinas e Valinhos. De acordo com o governador, 84% das obras já estão concluídas. O restante do trabalho está focado na construção da ponte sobre o Rio Capivari e na construção do trevo de acesso à Rodovia dos Bandeirantes. Junto com a D. Pedro, as três rodovias estarão conectadas pelo anel viário sem que haja necessidade de entrar no trecho urbano de Campinas, reduzindo os congestionamentos.

O investimento é de R$ 91 milhões em obras e mais R$ 92 milhões em desapropriações. O prolongamento deve melhorar o deslocamento de moradores de Valinhos e Campinas, deve dar mais segurança aos motoristas e facilitar o acesso ao Aeroporto Internacional de Viracopos. O governador participou do 4º Fórum do Grupo de Líderes Empresariais (Lide) na manhã de sábado e na sequência vistoriou as obras de prolongamento. “Em 90 dias devemos entregar o Anel Viário Magalhães Teixeira até a Bandeirantes. Nós ligaremos a Dom Pedro com a Anhanguera e com a Bandeirantes”, disse.

Estão sendo implantados 5,8 quilômetros de pistas com duas faixas por sentido entre o KM 12 - entroncamento com a Anhanguera - e o Km 18 – entroncamento com a Bandeirantes. O projeto inclui a construção de viadutos, passagens inferiores e ponte sobre o Rio Capivari. De acordo com a concessionária, atualmente, as frentes de trabalho para a conclusão dos 16% restantes da primeira etapa estão concentradas sobre a ponte do Rio Capivari e no entroncamento com a Rodovia dos Bandeirantes, além de outros viadutos que farão a interligação de vias locais. Está em execução ainda a pavimentação de alguns trechos, especialmente os mais próximos a Rodovia Anhanguera e execução dos sistemas de drenagem e revestimento vegetal. “O grande desafio hoje é a ponte, são as obras sobre o Rio Capivari”, destacou o governador.

A ampliação do Anel Viário contempla mais duas etapas. A próxima a ser executada será o trecho de quatro quilômetros entre as rodovias dos Bandeirantes e a Miguel Melhado Campos (SP-324). O investimento será de R$ 62,5 milhões, além de R$ 12 milhões de desapropriações.

2ª etapa

A segunda fase do prolongamento do Anel Viário está em fase de obtenção de licenciamento. A expectativa é de que os trabalhos sejam iniciados após o término da primeira etapa, mas ainda não há data definida, já que depende de licença. A terceira etapa do Anel Viário terá seis quilômetros e fará a ligação das Rodovias Miguel Melhado e Santos Dumont (SP-75). A obra não estava prevista inicialmente no contrato de concessão, mas por conta do fluxo de veículos foi autorizada pelo governador e será executada pela concessionária Rota das Bandeiras, responsável pelo desenvolvimento do projeto executivo.

Durante a visita, Alckmin falou a imprensa sobre o andamento de outras obras viárias que estão em andamento na região. “Na primeira semana de setembro, vamos entregar o Trevo de Valinhos, que é uma outra obra importante. Até dezembro, a SP-340, de Jaguariúna, Pedreira até Amparo estará totalmente duplicada, ajudando também o acesso ao Circuito das Águas. E o turismo interno vai crescer porque o dólar está muito caro e desestimula as pessoas a irem pra fora do País. Então nós vamos ter o crescimento do turismo interno em São Paulo”.

Sobre as marginais da Rodovia Dom Pedro, o governador afirmou que devem ser concluídas até 2016. No total, o projeto prevê 36,2 km de vias marginais, que vão desde o km 129, trevo da Leroy Merlin, até o km 145 500, entroncamento com a rodovia Anhanguera. O trecho entre os km 134 e 140 das marginais já foi concluído. Atualmente, os operários atuam em dois pontos: do km 143 ao km 145 500 (entre o Trevo dos Amarais e a Anhanguera) e do km 131 ao km 134 (do Galleria à Governador Adhemar de Barros).

BOX:

Também no sábado, o governador Geraldo Alckmin assinou o decreto do credenciamento definitivo de quatro parques tecnológicos de Campinas no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec): o Parque Científico da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o Pólis, parque instalado dentro do CPqD, o Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI-Tec) e o Techno Park, como o Correio adiantou ontem. O ingresso no sistema habilita as unidades a obter financiamentos, incentivos fiscais e recursos estaduais para crescer. Com isso, eles terão condições de atrair investimentos e gerar novas empresas intensivas em conhecimento ou de base tecnológica. Questionado sobre a crise econômica e o desemprego, Alckmin afirmou que o governo está investindo no setor de exportações e de infraestrutura. “Nós entendemos que o que vai ajudar a segurar o emprego e ativar um pouco a economia são as exportações. O dólar está a R$ 3,50. Pode subir ainda mais. E isso abre um espaço para a exportação. Eu diria que é uma possibilidade. Campinas, com o Aeroporto Internacional e com sua boa logística e infraestrutura, tem tudo para liderar este processo.

Escrito por:

Inaê Miranda