Publicado 07 de Agosto de 2015 - 18h21

Por Carlos Augusto Rodrigues da Silva

É apenas a 5ª rodada, mas num torneio de tiro curto, já vale como decisão para o Red Bull Brasil o jogo de hoje contra o Ypiranga, às 15h, no Estádio Colosso da Lagoa, em Erechim (RS). Terceiro colocado do grupo A7 com 4 pontos, o Toro Loko encara um concorrente direto, já que o adversário possui 6 pontos. Por isso, uma vitória coloca o time campineiro na zona de classificação, ao passo que o tropeço pode complicar a situação da equipe na briga pela classificação à próxima fase da Série D do Campeonato Brasileiro.

A missão do Red Bull é recuperar fora de casa os pontos perdidos na semana passada no empate sem gols contra o Resende. Por isso, o compromisso é encarado com bastante seriedade. “Encaramos como uma decisão, sem dúvida. Estamos conscientes que precisamos do resultado mais do que na rodada passada”, avisa o técnico Maurício Barbieri.

O experiente goleiro Juninho admite que o time entra com certa dose de pressão por ainda não ter embalado na competição e que precisa reverter o quadro imediatamente. “Reformulamos bastante a equipe, ainda estamos nos acertando, mas o torneio é curto. Só faltam cinco jogos e se demorarmos pra entrar no campeonato podemos nos complicar”, afirma. “Sabemos das dificuldades, da importância do jogo e de que a cobrança já é grande”, completa.

Apesar da responsabilidade, o camisa 1 do Toro Loko prega calma e atenção para que o time não repita os erros da estreia contra o Operário, quando bobeou no primeiro tempo e acabou derrotado. “É preciso ser objetivo e cauteloso, fazendo nossa parte lá atrás para não tomar os gols e tentando esperar um erro deles”, projeta.

Aproveitar as chances de marcar gols, inclusive, é a maior preocupação. O desempenho do ataque não agradou no último jogo e é possível que sejam feitas mudanças no setor, embora Barbieri não confirme. “Temos que aproveitar as oportunidades que criarmos, gerar um desequilíbrio lá na frente e diminuir o número de erros”, pede o treinador. (Carlos Rodrigues/Da Agência Anhanguera)

Escrito por:

Carlos Augusto Rodrigues da Silva