Publicado 05 de Agosto de 2015 - 19h42

Por Carlos Augusto Rodrigues da Silva

Carlos Rodrigues

Da Agência Anhanguera

[email protected]

O Guarani demorou para conseguir contratar o esperado centroavante e poucos dias após sua estreia já vê outro clube querendo levá-lo. O Ceará fez uma proposta ao atacante Giancarlo e inclusive anunciou ontem o acerto com o jogador. O Bugre, no entanto, garante que ele não pode ser negociado pois ultrapassaria o limite de transferências interestaduais em uma mesma temporada. Disposta a brigar pelo atleta, a equipe nordestina fez uma consulta a CBF para saber a real situação e tenta encontrar uma brecha para poder oficializar Giancarlo como reforço para o restante do ano.

Normalmente, o Guarani não poderia se opor a negociação. Isso porque Giancarlo exigiu que no contrato houvesse uma cláusula que o liberaria imediatamente – e sem custos – caso houvesse uma oferta de qualquer time do Exterior ou das Séries A e B do Brasileiro. No início da semana, o Ceará fez a proposta ao jogador, que a encaminhou ao Bugre. Foi quando os dirigentes da equipe alviverde perceberam que a transação seria inviável.

O Bugre se apoia em uma resolução da CBF, de 2005, que permite até duas transferências interestaduais por jogador na temporada. No caso de Giancarlo, ele tinha vínculo com o Paraná, mas foi emprestado para o Botafogo-SP para a disputa do Paulistão, o que caracteriza a primeira transferência. Depois, volta ao clube paranaense, obtém o direito de rescindir o contrato por atraso de salários e, mais adiante, assina com o Bugre. A ida ao Ceará seria a terceira.

“Não tem como isso acontecer, minha checagem foi com uma pessoa ligada a esse departamento, que me disse que ele está impossibilitado. Tenho 100% de garantia que não pode haver a terceira transferência interestadual”, afirma Waldir Lins, superintendente de futebol bugrino.

No Ceará, a negociação ainda é vista como provável. Em entrevista ontem, Robinson de Castro, vice-presidente do clube, disse aguardar o parecer favorável da CBF e estipulou até data para a chegada de Giancarlo. “Temos um atacante de área que já fechamos, e esperamos para se apresentar amanhã (hoje). Fizemos uma consulta na CBF e ela deu um sinal positivo. Só estamos esperando um documento para ficarmos mais tranquilos”.

Proposta

Giancarlo não é o primeiro atacante da Série C procurado pelo Ceará. O Vozão fez uma proposta por Leandrão, do Brasil de Pelotas, artilheiro do torneio. O clube ofereceu um contrato de três anos e um salário de R$ 50 mil mensais, mas o jogador não aceitou. Por Giancarlo, as cifras são parecidas, o que equivale a mais do que o dobro do que ele ganha no Guarani

Escrito por:

Carlos Augusto Rodrigues da Silva