Publicado 03 de Agosto de 2015 - 18h12

Por Bruno Bacchetti

Bruno Bacchetti

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Fotos: Dominique

O Banco Bradesco montou uma megaestrutura no ginásio do Tênis Clube, no Cambuí, para a mudança das contas dos servidores públicos municipais do Banco do Brasil para o Bradesco. Mais de 480 profissionais do banco foram mobilizados e dezenas de guichês atendem desde ontem os funcionários públicos, que são recepcionados com água, café e pipoca. Todos os servidores – ativos, aposentados, pensionistas e estagiários – deverão comparecer ao clube até o próximo dia 17 para oficializar a abertura da conta no banco privado, na qual serão creditados os salários a partir de agosto. Mesmo os servidores que já têm conta no Bradesco também devem comparecer ao local indicado. A transição, no entanto, gerou dúvidas e queixas entre os servidores que não querem trocar de instituição financeira.

A Prefeitura vendeu, no início do mês, os direitos da folha de pagamento dos servidores municipais ao Bradesco por R$ 64 milhões. O grupo será responsável por fazer o depósito do salário de 25,7 mil funcionários ativos e inativos durante 60 meses e montará uma agência no Paço dos Jequitibás.

A abertura da nova conta é obrigatória e será feita por ordem alfabética. O cadastramento dos servidores com nomes iniciados pelas letras A e B termina hoje, e nos próximos dois dias serão atendidos funcionários com as iniciais C e D. O servidor deve apresentar o RG, o CPF e um comprovante de endereço (originais e cópias). Na ocasião, será feita a atualização dos dados dos servidores, a biometria e o cadastramento de senha de acesso à conta e aos canais alternativos de atendimento. Também serão entregues os cartões bancários.

A movimentação no ginásio do clube foi intensa pela manhã e nem todos estavam satisfeitos com a mudança. Muitos servidores demonstraram descontentamento com a mudança de banco e disseram que encontraram dificuldades para fazer a portabilidade ou abrir somente a conta-salário. O aposentado Antonio Dias, de 69 anos, foi até o local protocolar o pedido de portabilidade para continuar recebendo pelo Banco do Brasil. “Vim até aqui porque fui convocado, mas já fui no Banco do Brasil renovar a conta e vou permanecer. Vou continuar do jeito que está”, frisou.

A pensionista Ana da Silva Ranq, de 66 anos, compareceu ao Tênis Clube nas primeiras horas para abrir a conta no Bradesco e lamentou a necessidade de mudar a instituição financeira. “Fiz a conta- corrente porque como não trabalho não tenho a opção da conta-salário. O Banco do Brasil era muito bom, fiquei com dó de sair. Ainda não sei como vai ser, vamos ver o que vai dar”, afirmou.

A professora Ana Teresa Maciel, de 48 anos, também procurou o posto do Bradesco na manhã de ontem e disse que o atendimento foi rápido. Ela já é correntista da instituição financeira, mas, mesmo assim, precisou comparecer ao Tênis Clube. “Como já tenho conta no Bradesco aberta foi rápido e já me entregaram cartão, cheque. Sei que tem gente que prefere ficar no banco do Brasil, é uma questão pessoal”, disse.

Segundo a Prefeitura, o Bradesco é responsável pela abertura das contas e pela estrutura montada no Tênis Clube, e somente fez o comunicado aos servidores. Procurada pela reportagem, a instituição financeira não comentou as reclamações dos servidores e disse, em nota, que “nosso compromisso é atender a todos, respeitando as necessidades individuais de cada servidor. Foi disponibilizada estrutura de atendimento com o objetivo de apresentar as vantagens de ser cliente Bradesco e os benefícios oferecidos exclusivamente para os Servidores da Prefeitura Municipal de Campinas”.

Além do Tênis Clube, serão montados pelo Bradesco outros dois polos de atendimento para a abertura de contas do Bradesco. No Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, o atendimento será de 10 a 19 de agosto, das 7h às 21h, somente para os profissionais que atuam no local. Na sede da IMA serão atendidos os servidores da empresa e também da Setec. A equipe do Bradesco estará no local de 10 a 19 de agosto, das 8h às 18h.

Retranca - A Prefeitura de Campinas vai mandar para a Câmara de Vereadores um projeto de lei para alterar as regras do empréstimo consignado dos servidores. A proposta visa ampliar de 72 para 84 o número máximo de parcelas, e segundo a administração atende a um pedido tanto dos servidores quanto das instituições financeiras cadastradas.

Ontem foi publicado no Diário Oficial do município um decreto alterando para 84 parcelas o prazo máximo para empréstimos. No entanto, o secretário de Administração, Silvio Bernardin, o decreto foi um equívoco e não terá efeito. Segundo ele, essa mudança somente pode ser realizada através de projeto de lei. “Houve um equívoco e estamos tornando esse decreto sem efeito. Há uma lei federal que determina a necessidade de enviar um projeto de lei para a Câmara”, explicou.

Bernardin afirmou, ainda, que o objetivo da administração em ampliar o prazo não tem relação alguma com a mudança da instituição financeira responsável pela folha de pagamento da Prefeitura, do Banco do Brasil para o Bradesco. O objetivo é facilitar a vida do servidor ampliando o prazo de pagamento para reduzir o valor das parcelas. “Isso é uma demanda antiga dos servidores e não tem relação com a mudança para o Bradesco, calhou de sair agora. Alongando as parcelas o valor fica menor e de certa forma aumenta a capacidade financeira”, disse Bernardin.

O percentual máximo de seu salário que o servidor poderá adquirir em empréstimo junto às instituições financeiras não mudará e continuará de no máximo 30%.

Escrito por:

Bruno Bacchetti