Publicado 03 de Agosto de 2015 - 14h41

Por Alenita de Jesus

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Alenita Ramirez

Nome da vítima: Hebe Dagnoni Marques, a polícia pediu para não colocar

Uma aposentada de 79 anos morreu após ter sua casa invadida por um bandido na noite de anteontem no bairro Guanabara, em Campinas. O corpo da vítima foi achado por um filho na manhã de ontem. A idosa estava com as mãos amarradas, com um pano de prato enfiado até a gargante e uma camisa cobrindo a cabeça. A família disse para a polícia que sumiu uma carteira preta com R$ 100. O crime foi registrado no 4º Distrito Policial (DP), no Taquaral, como roubo a residência e será investigado como latrocínio - quando o roubo é seguido de morte. Com este, o número de latrocínio na cidade sobe para nove neste ano.

Segundo a delegada de plantão, Maria Bernadete Steter, a idosa, dona de uma doceria, era deficiente auditiva e morava sozinha.

O sistema de monitoramento de uma casa vizinha registrou quando um homem de cerca de 30 anos entrou no quintal da parte da frente pelo muro e tentou entrar pela porta da frente, que estava entreaberta. Mas a porta tem grade que estava trancada com cadeado. A invasão teria ocorrido por volta das 18h do domingo.

Como o suspeito não conseguiu abrir a grade voltou para o mesmo local que entrou. "Ele deu a volta e foi para os fundos, onde a porta da cozinha estava aberta", contou a delegada.

A aposentada foi achada caída de bruços no quarto. Segundo a polícia, o quarto da vítima e outro ao lado estavam revirados.

A cachorrinha de estimação da aposentada, uma poodle, foi achada pelo filho na garagem da casa.

O aparelho que ela usava no ouvido foi achado alguns metros distantes do corpo da vítima.

Números

O último latrocínio registrado em Campinas foi no dia 12 de junho no Jardim Londres quando a dona de Maria Silvane Brito de Almeida Santos, de 47 anos, foi morta durante assalto em sua casa. Ela foi rendida por dois adolescentes quando abria o portão de casa para o marido que chegava do trabalho. O casal foi levado para o interior da casa e um dos criminosos atirou durante a ação. Só no mês de junho foram dois latrocínios. Maio registrou o maior índice com três casos.

Na região do Taquaral, este é o segundo caso. No dia 22 de janeiro, um aposentado de 76 anos reagiu a um assalto quando chegava em casa, foi baleado, socorrido ao Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, mas morreu uma semana depois. A vítima morava no Jardim Nossa Senhora Auxiliadora, próximo a Lagoa do Taquaral. O aposentado foi atacado por dois bandidos que queriam o Corolla.

Escrito por:

Alenita de Jesus