Publicado 05 de Agosto de 2015 - 21h48

Por Carlos Rodrigues

Giancarlo chegou ao Guarani como esprança de gols para o time

Carlos Sousa Ramos/AAN

Giancarlo chegou ao Guarani como esprança de gols para o time

O Guarani demorou para conseguir contratar o esperado centroavante e, poucos dias após sua estreia, já vê outro clube querendo levá-lo. O Ceará, lanterna da Série B do Brasileiro, fez uma proposta ao atacante Giancarlo e, inclusive, anunciou, nesta quartas-feira (5), o acerto com o jogador. O Bugre, no entanto, garante que ele não pode ser negociado, pois ultrapassaria o limite de transferências interestaduais em uma mesma temporada. Disposta a brigar pelo atleta, a equipe nordestina fez uma consulta à CBF para saber a real situação e tenta encontrar uma brecha para poder oficializar Giancarlo como reforço para o restante do ano.

Normalmente, o Guarani não poderia se opor à negociação. É que Giancarlo exigiu que no contrato houvesse uma cláusula na qual o clube seria obrigado a liberá-lo sem custos em caso de uma oferta de times do Exterior ou das Séries A e B do Brasileiro. No início da semana, o Ceará fez a proposta ao jogador, que a encaminhou ao Bugre. Foi quando os dirigentes da equipe alviverde perceberam que a transação seria inviável.

O Bugre se apoia em uma resolução da CBF, de 2005, que permite até duas transferências interestaduais por jogador na temporada. No caso de Giancarlo, ele tinha vínculo com o Paraná, mas foi emprestado para o Botafogo-SP para a disputa do Paulistão, o que caracteriza a primeira transferência. Depois, voltou ao clube paranaense, obteve o direito de rescindir o contrato por atraso de salários e, mais adiante, assinou com o Bugre. Assim, a ida ao Ceará seria a terceira transferência.

"Não tem como isso acontecer, minha checagem foi com uma pessoa ligada a esse departamento, que me disse que ele está impossibilitado. Tenho 100% de garantia que não pode haver a terceira transferência interestadual", afirma Waldir Lins, superintendente de futebol do Guarani.

No Ceará, a negociação ainda é vista como provável. Em entrevista nesta quarta, Robinson de Castro, vice-presidente do clube, disse aguardar o parecer favorável da CBF e estipulou até data para a chegada de Giancarlo. "Temos um atacante de área que já fechamos, e esperamos para se apresentar amanhã (quinta-feira). Fizemos uma consulta na CBF e ela deu um sinal positivo. Só estamos esperando um documento para ficarmos mais tranquilos."

PROPOSTA

Giancarlo não é o primeiro atacante da Série C procurado pelo Ceará. O Vozão fez uma proposta por Leandrão, do Brasil de Pelotas, artilheiro do torneio. O clube ofereceu um contrato de três anos e um salário de R$ 50 mil mensais, mas o jogador não aceitou. Por Giancarlo, as cifras são parecidas, o que equivale a mais do que o dobro do que ele ganha no Guarani.

NOTAS

Mudança

A CBF agendou mais um jogo do Guarani para o período da manhã. Assim como na próxima partida, diante do Londrina, o confronto contra o Tupi, marcado para sábado, dia 15, foi antecipado das 16h para as 11h por pedido do Esporte Interativo. Será a quarta partida do Bugre nesse horário na Série C.

Definição

O técnico Paulo Roberto deve definir, nesta quinta-feira (6), o time que enfrenta o Londrina. O elenco treina pela manhã e, após o almoço, segue viagem para o Norte do Paraná. O volante Serginho Catarinense está praticamente vetado e o lateral-esquerdo Denis Neves é dúvida.

Guaratinguetá

Além da parceria que envolve atletas e comissão técnica, até o mando de partidas do Guaratinguetá terá influência do Atlético-PR. A CBF confirmou, nesta quarta, que um dos rivais do Guarani no Grupo B só atuará mais uma vez em sua cidade-sede. Após o jogo contra o Tupi, no domingo (9), todas as outras partidas serão realizadas no Eco Estádio, em Curitiba.

Escrito por:

Carlos Rodrigues