Publicado 04 de Agosto de 2015 - 5h30

É difícil andar pelas ruas e ver alguém sem um celular na mão. Mas em tempos de dinheiro curto, saber escolher um plano que se encaixe no perfil do consumidor é fundamental para economizar.

Na área do DDD 19, por exemplo, há 9,77 milhões de dispositivos móveis ativos. Entre maio de 2014 e igual mês neste ano, mais de 543.284 novos celulares entraram em operação na área.

Estudo realizado pela Proteste - Associação de Consumidores - aponta que o usuário dos planos pré-pagos, pós-pagos e controle com acesso à internet oferecidos por cinco operadoras nacionais e duas regionais pode economizar mais de R$ 1 mil por ano simplesmente escolhendo um pacote que atenderá, sem exageros, às suas necessidades.

A redução vale para quem é “superconectado”, para o usuário que tem ou precisa de uma linha com cerca de 350 minutos locais de ligação por mês (pouco mais de 11 minutos e meio por dia), sendo 75 minutos para telefones fixos.

Conforme a entidade, o pacote também tem 200 minutos para a mesma operadora e 75 minutos para outras, sendo 70% no tempo normal e 30% no reduzido, incluído o envio de 10 SMS por mês e pelo menos 5 GB de internet.

De acordo com o estudo, se o consumidor preferir o plano mais barato, a economia mensal pode chegar a R$ 143 em São Paulo e R$ 133 no Rio de Janeiro em relação ao plano mais caro.

O autônomo José Luiz Cunha afirmou que está economizando R$ 100,00 por mês com a mudança de plano. “Eu tinha um pacote com muitos minutos de ligação que eu não usava. Em compensação, sempre gastava mais com a internet e acabava tendo que comprar navegação adicional. Fiz um novo pacote com mais internet e menos minutos de ligação e estou pagando menos. Também fiquei de olho em promoções. Não é fácil lidar com as operadoras, mas o consumidor tem que buscar os seus direitos”, disse.

A dona de casa Maria Rosa Nunes afirmou que em sua casa utiliza um pacote família, que barateou a ligação entre celulares utilizando uma mesma operadora. “Ainda acho caro o valor que pagamos por mês, mas cada centavo economizado ajuda a manter o orçamento equilibrado. Mas as operadoras cobram muito caro pelo que oferecem no Brasil. Meu irmão mora no Exterior e tem um serviço muito melhor e mais barato”, comentou.

A diarista Josefina Silva afirmou que mudou de operadora porque não conseguiu mudar de plano por um mais barato. “Queria um plano que eu pudesse pagar, mas a atendente me disse que eu não poderia trocar porque tinha um contrato de fidelidade. Paguei uma taxa e fiz a portabilidade para outra empresa. Agora pago bem menos e não corro o risco de ficar inadimplente”, contou.

A Proteste informou que mantém em seu site um simulador de tarifas de celular que mostra o resultado completo para todos os 26 Estados e o Distrito Federal (em www.proteste.org.br/nt/simulador/lista). De acordo com a pesquisa, todas as operadoras oferecem planos com o serviço de ligações ilimitadas para telefones móveis da mesma operadora. Entretanto, o consumidor tem quer ficar atento: chamadas para números de outras operadoras têm o custo por minuto muito alto, e é preciso observar com qual operadora fala mais.

E se o uso da internet no celular apenas para ver e-mails, ler notícias e acessar redes sociais com pouca frequência, um plano controle pode ser uma boa opção.