Publicado 07 de Agosto de 2015 - 19h05

Garota Exemplar (Telecine Premium, 22h, 14 anos), de David Fincher (2014), passou batido no Oscar e não empolgou o grande público. Talvez porque ele viva muito das viradas espetaculares. O primeiro ato aparenta ser desinteressante, mas serve de fato como preparação para os dois atos finais. Tudo começa com um episódio comum: houve o desaparecimento de uma mulher (supõe-se ser um crime) e todas as desconfianças recaem sobre o marido. Lembra aquelas séries do canal Investigação Discovery sobre vizinhos assassinos. A sensação de assistirmos a um filme já visto faz toda a parte inicial soar arrastada. Mas não se engane, pois a suposta fragilidade do roteiro funciona como alerta: a verdade não está onde se vê. O que se pode contar da história? Que Nick Dunne (Ben Affleck) é um sujeito meio detestável, que andou brigando com a mulher, não quer o filho que ela deseja, e que cometeu alguns outros pecados venais. De Amy (Rosamund Pike), que ela é uma moça exemplar (segundo o título português), ama o marido e tenta ajudá-lo a se reerguer depois do desemprego dele.