Publicado 08 de Agosto de 2015 - 5h30

Viaturas da Guarda Municipal (GM) de Campinas ficaram recolhidas em algumas bases da corporação a partir da tarde de ontem devido a ausência de comunicação por rádio, sem previsão do sistema ser normalizado. A rede usada teve mudança da empresa responsável por sua operação definida em março, e parte dos veículos começou a ter os rádios trocados agora.

A situação atípica, informada por guardas, teria começado às 15h30 e foi confirmada pelo diretor do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal, Lourivam Valeriano, que é guarda municipal e diz que solicitou a medida diretamente ao comandante da GM, Edson Rizzo, para a segurança das equipes. “Desde março a comunicação é precária, com rádio de mão. Com a retirada da linha hoje (ontem) acabou totalmente a comunicação”, relatou.

A reportagem esteve na base da Guarda Municipal na Vila Padre Manoel de Nóbrega no final da tarde de ontem e constatou várias viaturas estacionadas em seu interior. No local, a orientação foi de procurar a Secretaria de Segurança para obter informações exatas. Um guarda, que preferiu não ser identificado, confirmou que seus colegas estavam sem qualquer comunicação.

“Devemos ficar sem rádio no final de semana. A comunicação tem que ser por telefone ou rádio-comunicador pessoal e tem lugar que não tem sinal. E se algo grave acontecer?”, questionou o agente.

Parcial

O secretário da pasta, Luiz Augusto Baggio, afirmou, por meio de assessoria, que dois terços das viaturas estão com os novos rádios e que realmente ontem à tarde teve início a troca dos rádios das demais, bem como os rádios individuais, o que está sendo feito de maneira gradativa com conclusão prevista para a terça-feira.

O secretário afirmou ainda que o patrulhamento não foi afetado, no máximo a comunicação, cujo problema só pode ser detectado conforme for sendo usado. Para cada viatura recolhida para a instalação do novo rádio, Baggio garantiu que outra viatura deve ser colocada no lugar. Ele nega retirada de carros das ruas.

Contrato

O termo de contrato de prestação de serviços de locação, com implantação de sistema de radiocomunicação digital para uso da GM e da Defesa Civil foi assinado entre a Prefeitura e a empresa TRC Telecom em 27 de março, com prazo de 12 meses e valor de quase R$ 1,1 milhão. O serviço inclui o sistema de repetição com cinco torres, controlador central, cinco consoles de gerenciamento e despacho, quatro estações de despacho, 14 estações fixas, 270 portáteis e 98 móveis veiculares.

De acordo com o diretor do sindicato, a Telecom possui apenas uma antena repetidora em Campinas na região do Ouro Verde, que mal funciona. A empresa foi procurada pela reportagem no início da noite por telefone, mas ninguém foi encontrado.