Publicado 03 de Agosto de 2015 - 5h30

O Santos não aguentou a pressão do Flamengo no Maracanã no primeiro tempo, mas depois colocou a cabeça no lugar, reagiu e conquistou um ponto fora de casa pela 16 rodada do Campeonato Brasileiro. O time ficou no empate por 2 a 2, mas ainda está próximo da zona de rebaixamento, com apenas 17 pontos em 16 partidas.

No sábado, na Vila Belmiro, a equipe recebe o lanterna Coritiba e sabe que só uma vitória dará um pouco mais de tranquilidade para o técnico Dorival Júnior, que assumiu o time há menos de um mês. Já o Flamengo, que chegou aos 20 pontos com o empate de ontem, terá pela frente a Ponte Preta, domingo, no Moisés Lucarelli, em Campinas.

Empurrado por mais de 61 mil torcedores, entre pagantes e convidados, e com a presença ilustre da lutadora Ronda Rousey na arquibancada, o Flamengo tomou a iniciativa do duelo logo de cara e pressionou o Santos. O time paulista, por sua vez, tentava sair do sufoco para explorar os contra-ataques. Só que do outro lado quem funcionava era Emerson Sheik, que atacava pela esquerda, pela direita, pelo meio e incomodava bastante a defesa santista.

A primeira boa chance veio com o ex-jogador do Corinthians, que chutou e a bola desviou na zaga, indo para escanteio. Depois, Everton recebeu pela direita e bateu cruzado, mas Guerrero não alcançou.

O Santos praticamente só se defendia e não encontrava espaços para atacar. E o Flamengo foi cercando, apertando e tentando chegar ao gol. O chute de Canteros e a cabeçada fraca de Guerrero não chegaram a assustar. Mas quando chegou a vez de Alan Patrick, tudo mudou. Ele recebeu a bola na entrada da área, bateu forte, a bola fez uma curva e entrou.

A torcida foi ao delírio e o Santos tentou colocar a cabeça no lugar, mas já era tarde. Dois minutos depois, Canteros observou a boa movimentação de Sheik no ataque, lançou o companheiro, que invadiu a área e chutou forte na saída de Vanderlei para ampliar a vantagem.

As broncas do técnico Dorival Júnior surtiram efeito no intervalo e logo aos 6’ o Santos diminuiu com Ricardo Oliveira, que aproveitou de cabeça a cobrança de escanteio de Lucas Lima. O empate poderia ter surgido pouco depois, quando Victor Ferraz chutou e Paulo Victor espalmou, evitando o perigo

O Flamengo parecia ter desistido de atacar e recuou muito. As entradas de Marquinhos Gabriel e Neto Berola deram novo ânimo ao Santos, que chegou ao empate aos 26’, com Lucas Lima, que acertou um lindo chute de fora da área e deixou tudo igual.

O empate mexeu com os donos da casa, que pressionaram nos últimos minutos para tentar marcar o gol da vitória. Do outro lado, Dorival colocou Thiago Maia no lugar de Gabriel, fechou mais o time e segurou o resultado até o final, contando ainda com a sorte e boas defesas de Vanderlei. (Da Agência Estado)

Dorival exalta o 2 tempo da equipe

Após duas vitórias e uma derrota, o técnico Dorival Júnior teve seu primeiro empate na volta ao comando do Santos. Ontem, com dois tempos bem distintos, o treinador preferiu comemorar a boa segunda etapa, sem deixar de tentar explicar a razão do fraco futebol apresentado nos primeiros 45 minutos do empate por 2 a 2 com o Flamengo.

"O Santos foi valente. No primeiro tempo, inexistiu. No segundo, foi diferente. Adiantou a marcação, acreditou na troca de passes", disse Dorival. "Enfrentamos um adversário de alto nível, com 60 mil pessoas empurrando. Ficaram mais coisas positivas do que negativas", afirmou.

O Maracanã lotado também foi elogiado por Dorival. Para o técnico, Santos e Flamengo proporcionaram ao público presente no estádio um "grande espetáculo". "Estamos vendo grandes jogos no Campeonato Brasileiro, como foi Atlético-MG x São Paulo. É isso que queremos", enfatizou.

Um dos principais jogadores no título do Santos no Campeonato Paulista deste ano, Lucas Lima foi o nome decisivo na tarde de ontem. O jogador, que ainda não havia conseguido repetir o desempenho do estadual no Brasileirão, deu a assistência para um dos gols e foi o autor de um golaço, que sacramentou o empate.

"Acho que fizemos um bom segundo tempo. Erramos muito no primeiro e conseguimos mostrar nossa força no segundo. Não desistimos em nenhum momento e a equipe está de parabéns", disse o meia na saída do gramado. (AE)

FLAMENGO

Paulo Victor; Pará, Wallace, César Martins e Jorge; Márcio Araújo, Canteros, Alan Patrick (Gabriel) e Everton (Almir); Paolo Guerrero e Emerson. Técnico: Cristóvão Borges.