Publicado 09 de Agosto de 2015 - 5h07

Por Milene Moreto

Milene Moreto

Cedoc/RAC

Milene Moreto

Os vereadores de Campinas Angelo Barreto (PT) e Neusa do São João (PSD) lideram o ranking de faltas nas sessões ordinárias da Câmara no primeiro semestre, de acordo com as atas e resumos das reuniões divulgados no site do Legislativo. Cada parlamentar teve oito faltas, equivalente a cerca de 20% do total de 41 sessões. Coincidência ou não, Angelo e Neusa também são dois dos únicos três vereadores que não apresentaram nenhum projeto de lei até o início do recesso. O outro é Edison Ribeiro (PSL).

Ranking

Na sequência do ranking de faltosos da Câmara de Campinas aparecem Carmo Luiz (PSC), Jota Silva (PSB) e Paulo Galtério (PSB), todos com sete faltas; Luis Yabiku (PDT) e Thiago Ferrari (PTB) tiveram cinco faltas cada; Professor Alberto (PR) e Zé Carlos (SD), três; Aurélio Cláudio (PDTY) e Pedro Tourinho (PT), duas. Segundo o levantamento feito pelo Correio, somente 11 dos 33 parlamentares compareceram em todas as sessões do primeiro semestre de 2015.

Confetes

Apenas sete das 41 sessões contaram com a presença de todos os vereadores. Na apuração dos dados, o dia que registrou mais faltas dos parlamentares foi a reunião que ocorreu pós-Carnaval, na quarta-feira de cinzas. Os parlamentares, por incrível que pareça, podem faltar a um terço das sessões da Câmara. Segundo informações do Legislativo, apesar da quantidade de faltas ser grande, quando deixam de comparecer às reuniões e não justificam a ausência, uma parte do salário é descontada.

Entra e sai

Uma maneira de “burlar” a justificativa e a falta é dar uma passadinha rápida, responder a chamada, dar “oi” para os colegas e sair de fininho. Na Câmara de Campinas alguns adotam essa prática.

Convenção

O empresário Fernando Garnero foi reeleito presidente do diretório municipal do PMDB em Campinas. A convenção contou com a presença do ex-prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, do ex-prefeito Lauro Péricles e de ex-vereadores como Sebastião dos Santos e Delegada Teresinha. Integrante do partido local há cinco anos, Garnero representa a renovação da sigla no município e disse que a nova diretoria local sofreu pequenas mudanças para a oxigenação do PMDB na cidade. Ele disputou a eleição com a chapa única Unidade e Transparência. Atualmente, o PMDB tem 3,8 mil filiados.

Apoio

O prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, colega de partido do empresário, levantou a bandeira de uma possível candidatura de Garnero para o pleito municipal. A cogitação foi ovacionada pelos correligionários. No momento, a prioridade do partido, segundo o próprio empresário, é voltar a ter representantes no Poder Legislativo de Campinas.

Falta um

Nas próximas eleições para vereança de Campinas, o PMDB apostará em 50 candidatos e irá para a disputa com chapa completa. Por enquanto, 49 pré-candidatos já foram definidos — são 35 homens e 15 mulheres.

Sem futuro

Após a negativa do Tribunal Superior Eleitoral para o registro do PL, partido arquitetado pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, tem quem diga que já não dá mais tempo para que a sigla seja fundada e, desta forma, quem tinha esperanças em mudar para novas legendas sem ser alvo de processos por infidelidade partidária , começa a se preocupar e a buscar soluções. Em Campinas os entusiastas do PL já tinham construído toda uma articulação que seria colocada em prática em 2016 e com direito a candidato a prefeito. Eles continuam otimistas.

Escrito por:

Milene Moreto