Publicado 06 de Agosto de 2015 - 23h06

Por France Press

Ao menos sete pessoas morreram e 200 ficaram feridas, nesta sexta-feira (7), em um atentado com carro-bomba em Cabul, informaram as autoridades afegãs.

Segundo Wahidullah Mayar, porta-voz do ministério da Saúde, os feridos chegam em massa aos hospitais da capital afegã, onde já há sete mortos e 198 feridos.

"Os feridos, inclusive crianças, estão chegando aos hospitais da cidade... A expectativa é que o número de vítimas aumente", prosseguiu Mayar.

A explosão do carro-bomba ocorreu à 1h local, segundo o general Mohammed Ayub Salangui, vice-ministro do Interior.

"Muitas mulheres e crianças morreram ou estão feridas. Os autores do ataque tinham a intenção de cometer um massacre", estimou o general Abdul Rahman Rahimi, chefe da polícia de Cabul.

Nenhum grupo reivindicou imediatamente a responsabilidade pelo ataque, que ocorre em um momento em que os extremistas talibãs intensificam sua ofensiva de verão, apesar de uma dura transição de poder no âmbito do movimento.

Os talibãs assumiram os ataques que mataram nove pessoas em postos policiais no sul e no leste do Afeganistão na quinta-feira (6).

As ações marcaram os primeiros grandes atentados dos insurgentes desde que o grupo talibã confirmou, na semana passada, a morte de seu líder, o mulá Omar, que liderou o movimento por cerca de 20 anos.

A ofensiva ocorre apesar de uma transição de poder que gerou divergências dentro do movimento, na qual o mulá Akhtar Mansour foi anunciado como o novo líder, na última sexta-feira (31).

Os atentados ressaltam ainda uma insegurança crescente em meio a um processo de paz hesitante com o talibã, enquanto as forças afegãs enfrentam sua primeira temporada de ataques de verão sem o apoio total da Otan.

Na província de Zabul, no sul do país, ao menos 17 pessoas, incluindo 12 soldados afegãos, morreram, na quinta, na queda de um helicóptero.

O helicóptero militar caiu por uma falha técnica em Shinkay, um distrito de Zabul com relativamente pouca atividade insurgente.

Segundo o comandante do Estado-Maior do exército afegão para o sul do país, a tragédia aconteceu com um helicóptero de transporte Mi-17 de fabricação russa.

Escrito por:

France Press