Publicado 06 de Agosto de 2015 - 9h48

Por France Press

Os 367 sobreviventes do naufrágio na quarta de um barco de migrantes na costa da Líbia, que deixou mais de 200 desaparecidos, viajavam nesta quarta em um navio militar para a cidade italiana de Palermo

AFP

Os 367 sobreviventes do naufrágio na quarta de um barco de migrantes na costa da Líbia, que deixou mais de 200 desaparecidos, viajavam nesta quarta em um navio militar para a cidade italiana de Palermo

Os 367 sobreviventes do naufrágio na quarta-feira de um barco de migrantes na costa da Líbia, que deixou mais de 200 desaparecidos, viajavam nesta quarta-feira em um navio militar para a cidade italiana de Palermo.

O navio militar irlandês "Niamh" transporta quase todos os sobreviventes (342 homens, 12 mulheres e 13 crianças) e 25 corpos resgatados no mar.

As autoridades irlandesas acreditam que o navio deve chegar à cidade italiana, na ilha de Sicília, durante a tarde.

Seis sobreviventes que precisavam de atendimento médico urgente foram levados de helicóptero para a ilha italiana de Lampedusa, a mais próxima da costa africana, informou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

O barco havia zarpado da Líbia com 600 pessoas a bordo, mas na manhã de quarta-feira os migrantes emitiram um pedido de socorro porque a embarcação estava sendo inundada e estava parada a 15 milhas da cidade líbia de Zuara, perto da fronteira com a Tunísia.

O navio "Niamh", alertado pela Guarda Costeira italiana, chegou ao local no início da tarde.

Quando o navio irlandês se aproximou, a embarcação dos migrantes virou, provavelmente por um movimento de pânico dos passageiros.

A operação de emergência, com a participação de sete barcos, vários helicóptero e um drone, permitiu resgatar mais de 360 pessoas.

Escrito por:

France Press