Publicado 04 de Agosto de 2015 - 13h02

Por France Press

A primeira ordenação de um bispo católico chinês em três anos aconteceu nesta terça-feira, com o consentimento das autoridades comunistas e do Vaticano, em uma cerimônia sob estreita vigilância policial.

Um cordão policial fechou todos os acessos à igreja do Sagrado Coração de Jesus, na província de Henan (centro da China), onde o padre Joseph Zhang Yilin foi ordenado como bispo oficial de Anyang.

A cerimônia, a qual a AFP não teve acesso por exigir um convite especial, comprova um momento melhor nas relações entre Pequim e o Vaticano.

A última ordenação, em 2012 em Xangai, terminou com o novo bispo detido.

Designado por Roma, o monsenhor Thaddeus Ma Daqin foi publicamente rejeitado pela Associação Católica Patriótica da China - órgão controlado pelo Partido Comunista, que supervisiona o clero chinês -, e desde então está em prisão domiciliar.

Segundo a agência de notícias católica UCA News, Joseph Zhang Yilin era um dos potenciais bispos aprovados pela Santa Sé, antes de ser eleito pela Associação Católica em abril.

Pequim não reconhece a autoridade do Vaticano sobre a Igreja chinesa e criou sua própria organização para controlar o clero católico do país e os locais de culto aprovados pelo Partido Comunista.

O país tem 12 milhões de católicos.

Desde a chegada ao poder de Xi Jingping há dois anos, o controle da sociedade civil e das religiões registrou um forte aumento, como demonstra a campanha de destruição e retirada de cruzes protestantes e católicas, e até mesmo a demolição de locais de culto que supostamente violavam a legislação de construção.

Escrito por:

France Press