Publicado 08 de Agosto de 2015 - 15h08

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

A permanência de viaturas nas bases que foi confirmado pela reportagem na Vila Padre Manoel de Nóbrega

César Rodrigues/ AAN

A permanência de viaturas nas bases que foi confirmado pela reportagem na Vila Padre Manoel de Nóbrega

O patrulhamento da Guarda Municipal de Campinas amanheceu prejudicado em toda a cidade neste sábado por conta da falta de comunicação por rádio nas viaturas da corporação. Não há previsão de normalização do sistema e o comandante da corporação, Edson Rizzo, autorizou o recolhimento das viaturas nas bases, segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal, Lourivam Valeriano, que é guarda municipal e solicitou a medida para a segurança das equipes. O problema acontece na semana em que a empresa TRC Telecom começa a assumir de fato a prestação do serviço – o contrato foi assinado em março.

A permanência de viaturas nas bases que foi confirmada por guardas que não querem se manifestar na Vila Padre Manoel de Nóbrega  sexta. No sábado, mais guardas denunciaram a falta de patrulhamento e afirmaram que os carros ficaram parados nas bases da Lagoa do Taquaral, no Jardim São Vicente, na Estrada Velha da Indaiatuba (Pedra Branca), na região do Ouro Verde (Av. Suaçuna), na região do Campo Grande (Av. John Boyd Dunlop), na região do Gramado (próximo à Av. Moraes Sales), no Centro (Av. Moraes Sales) e nos distritos de  Barão Geraldo e Sousas. 

Segundo um guarda, apenas duas viaturas de Barão e duas do Centro circularam pelas ruas “por conta e risco”. Valeriano ressaltou que o problema só acontece devido ao funcionamento de apenas uma torre, na região do Ouro Verde, das cinco previstas em contrato.

O comandante da GM deixou a cargo do secretário de segurança, Luiz Augusto Baggio, falar sobre o caso, mas ele não foi encontrado pela reportagem nem pela assessoria de imprensa da Prefeitura em várias tentativas de contato sábado até o fechamento desta edição.

Na sexta-feira, Baggio afirmou que dois terços das viaturas estão com os novos rádios e que realmente começou a trocar os rádios das demais. Segundo ele, esse processo de troca tem previsão para ser concluído na terça-feira. Ele afirmou ainda que o problema na comunicação só poderia ser detectado conforme o uso e garantiu que o patrulhamento não seria afetado.

O termo de contrato de prestação de serviços de locação com implantação de sistema de radiocomunicação digital para uso da GM e da Defesa Civil foi assinado entre a Prefeitura e a TRC Telecom em 27 de março, com prazo de 12 meses e valor de quase R$ 1,1 milhão. O serviço inclui o sistema de repetição com cinco torres, controlador central, cinco consoles de gerenciamento e despacho, quatro estações de despacho, 14 estações fixas, 270 portáteis e 98 móveis veiculares. A empresa foi procurada novamente pela reportagem neste sábado, mas ninguém atendeu às ligações.

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa