Publicado 07 de Agosto de 2015 - 21h48

Por Inaê Miranda

Pesquisa e cuidado: consumidor não está disposto a fazer dívidas nem a gastar muito com o presente

Dominique Torquato/ AAN

Pesquisa e cuidado: consumidor não está disposto a fazer dívidas nem a gastar muito com o presente

Vitrines enfeitadas e comércio lotado - e, ao lado disso, muita moderação do consumidor na hora de gastar com o presente do Dia dos Pais, comemorado amanhã.

A busca por promoções e as compras à vista já podem ser consideradas as principais marcas da data este ano. A Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic) estima um faturamento de R$ 135 milhões em Campinas e de R$ 295 milhões na Região Metropolitana de Campinas (RMC), o que representa um crescimento de 2% nos dois casos - praticamente o mesmo registrado em 2014.

A queda do poder de compra do consumidor e a baixa expectativa sobre o futuro da economia do País estão entre os principais motivos do baixo crescimento. O Dia dos Pais é considerada apenas a 5º melhor data para o comércio em volume de vendas. E o avanço da inflação e do desemprego não permitem muito otimismo.

“Temos uma perspectiva bem baixa em relação aovolume de vendas. Se conseguirmos manter os níveis do ano passado, já nos daremos por felizes”, afirmou Adriana Flosi, presidente da Acic. De acordo com ela, o consumidor está muito reticente em gastar seu dinheiro e o crédito está mais caro. “O único número positivo que temos observado é o aumento das vendas à vista”, disse.

Rodrigo Ferrari, proprietário de uma ótica, confirmou que os clientes estão optando pelo pagamento à vista - e cobram descontos.

Gerente de uma loja de sapatos, Diego Ferreira disse que tem investido em promoções e em ações internas para motivadar os funcionários. “Estamos investindo em campanhas e promoções porque o que atrai o consumidor é o preço”, afirmou.

A agente de vendas Priscila Araújo, de 21 anos, optou por não sair do orçamento na hora de comprar o presente para o pai - que inicialmente seria um rádio, até ela descobrir que o preço era bem maior do que esperava. Resultado: trocou por um sapato, bem mais em conta. “O meu pai merece o rádio, mas vai ter que esperar. Talvez no ano que vem”, disse.

A estudante de enfermagem Marian Caminada, de 19 anos, também saiu de casa com o orçamento do presente definido. “Quis comprar uma lembrancinha só para não deixar a data passar em branco. Mesmo assim, levei uma hora para achar um presente que ficasse dentro do gasto que eu tinha planejado. Está tudo muito caro”, afirmou.

Já Valdemir Ropelle estava na dúvida se levava uma carteira ou um sapato para o avô - opotou pelo segundo porque encontrou uma boa promoção. “O preço estava razoável”, disse.

 

PESQUISA

O Procon Campinas divulgou esta semana uma pesquisa de preços com sugestões de presentes para o Dia dos Pais. Foram pesquisados 43 produtos entre os dias 15 e 28 de julho em no mínimo duas lojas (no total, 20 lojas físicas e 9 virtuais). A lista inclui DVDs de músicas, séries e filmes, games, camisas de times de futebol, livros, eletrônicos e ferramentas. O levantamento está disponível em www.procon.campinas.sp.gov.br

Escrito por:

Inaê Miranda