Publicado 05 de Agosto de 2015 - 21h44

David Luiz chora após resultado humilhante contra Alemanha na Copa do Mundo

Divulgação

David Luiz chora após resultado humilhante contra Alemanha na Copa do Mundo

A iniciativa do vereador Jota Silva (PSB) de instituir em Campinas o “Dia É gol da Alemanha”, para lembrar e discutir anualmente a goleada sofrida pela Seleção Brasileira para a Alemanha, por 7 a 1, na última Copa do Mundo, será arquivado após ganhar enorme repercussão e rodar o mundo.

Além de virar destaque na imprensa de todo o País e ser alvo de críticas nas redes sociais, a notícia chegou até o Exterior e foi repercutida por sites e jornais estrangeiros, entre eles a agência britânica Reuters, maior agência internacional de notícias do mundo. A reportagem foi publicada em jornais dos Estados Unidos, Europa e até da Ásia. Sites de humor, como o Sensacionalista, além dos principais meios de comunicação nacionais e esportivos, também usaram a notícia para fazer piada.

A reportagem da Reuters destacou que a foi “a derrota mais pesada do Brasil na Copa do Mundo e uma humilhação sem precedentes para o país anfitrião”, e que “o dia serviria para refletir sobre o que aconteceu em 8 de julho”. O jornalista da Rede Bandeirantes, Ricardo Boechat, compartilhou o projeto em sua página do Facebook e a publicação teve milhares de comentários.

A sugestão do vereador também não foi bem recebida pela população. O advogado Nelson Paviotti é conhecido por ser um dos torcedores mais fanáticos da Seleção. Ele anda pelas ruas de Campinas vestido de verde e amarelo há mais de 20 anos. Além disso, decorou sua casa com as cores da bandeira e desfila em um Fusca estilizado. A proposta do vereador não agradou ao advogado. “Fiquei surpreso com esse projeto e não traz reflexão nenhuma isso. Não concordo fazer isso por causa de uma derrota que já aconteceu com tantos times. O mundo todo ainda admira o futebol brasileiro, mas não é sempre que teremos timaços”, afirmou.

Segundo Jota Silva, o objetivo da proposta não é debochar do placar elástico e nem “comemorar” o resultado, mas lembrar a data e servir como reflexão para o futebol brasileiro. A proposta prevê em todo o dia 8 de julho a realização de debates com a participação da crônica esportiva campineira, dirigentes e ex-jogadores para discutir a gestão e do futebol.

Nesta , o vereador usou o tempo de tribuna durante a sessão da Câmara para falar da repercussão do projeto de forma positiva. Destacou entretanto, que muitos não compreenderam sua proposta e, por esse motivo voltaria atrás. O vereador exaltou os veículos de imprensa que, segundo ele, trataram o assunto com seriedade, e criticou outros canais de comunicação que não se aprofundaram no tema. “Quero justificar o projeto que virou polêmica a nível mundial. Repercutiu no mundo inteiro com matérias positivas. Essa Casa pode ter certeza de que nunca teve um projeto com tanta visibilidade no mundo inteiro. Mas, infelizmente, muitos não entenderam o espírito da proposta. Alguns jornalistas publicaram apenas a emenda do projeto e botaram as pessoas para dar opinião. A população entendeu de forma errada porque não tinha a explicação exata do que era”, explicou.

O vereador deve protocolar o pedido de arquivamento nesta quinta-feira (6). “Vou voltar atrás atendendo à população que não compreendeu. Me sinto na obrigação de pedir à Mesa que arquive esse projeto.”