Publicado 16 de Julho de 2015 - 18h53

Por Sarah Brito Moretto

Sarah Brito

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Os trabalhadores do Centro de Saúde (CS) Centro reivindicaram ontem melhorias na segurança da unidade, em reunião com a Secretaria de Saúde. O pedido ocorre após dois funcionários serem agredidos por uma paciente que esperava atendimento no CS, na tarde de quarta-feira, 15. Entre os pedidos estão rondas mais regulares da Guarda Municipal (GM), instalação de câmera de segurança, melhoria na iluminação da recepção e melhor posicionamento da guarda terceirizada da Gocil. A pasta informou, via assessoria de imprensa, que vai analisar os pedidos.

Segundo os funcionários, a guarda terceirizada fica na parte externa do prédio. O pedido é que os funcionários da Gocil fiquem próximos a recepção, para acompanhar o trabalho dos funcionários. A reunião com a Prefeitura foi mediada pelo Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Campinas (STMC).

Na quarta-feira, dois funcionários do CS foram atacados por uma paciente de 50 anos, que queria ser atendida logo. Após a agressão, o CS paralisou as atividades e atendeu apenas os pacientes que já estavam na unidade antes da agressão. O Centro atende, em média, 700 pacientes por dia. A agressora teria arranhado o rosto de um dos funcionários. Para não entrar em confronto com a mulher, ele fugiu para a sala da farmácia, mas ela socou a porta e conseguiu entrar. O impacto foi forte e fez um buraco no gesso da parede da farmácia. Na sala, também estava um farmacêutico, que não ficou ferido.

A Guarda Municipal foi acionada e foi até o local. A GM conteve a agressão. Os funcionários fizeram boletim de ocorrência do caso. Ontem, a Secretaria de Saúde informou, por meio de assessoria de imprensa, que o posicionamento da Gocil será revisto, assim como será verificada a possibilidade de aumentar a ronda da Guarda Municipal na área. Além disso, a pasta analisa a instalação de câmeras de segurança, em algumas unidades de saúde.

Intertítulo - NÚMEROS

O CS Centro foi inaugurado em julho de 2014. A outra unidade funcionou por 18 anos na Rua Barão de Jaguara. O CS é responsável por uma área com cerca de 74 mil habitantes, com uma média de 700 atendimentos por dia.

Escrito por:

Sarah Brito Moretto