Publicado 15 de Julho de 2015 - 10h58

Por Delminda Aparecida Medeiros

Rubem Alves ganha biografia e homenagens

Delma Medeiros

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Festejar o “renascimento” do escritor, mestre em teologia, doutor em filosofia, pedagogo, poeta, cronista, contador de histórias, ensaísta, teólogo e acadêmico Rubem Alves, foi a forma encontrada pelo Instituto Rubem Alves para marcar um ano de sua morte, em 19 de julho de 2014. “Rubem Alves era um apaixonado pela vida, então queremos marcar o primeiro aniversário de sua morte com ações de renascimento”, explica Ana Paula Hunziker, uma das coordenadoras do Instituto, junto Raquel Alves, filha do escritor.

A programação envolve várias atividades, com destaque para o lançamento do livro É Uma Pena Não Viver, a primeira biografia do pensador, de autoria do jornalista e advogado Gonçalo Junior, publicado pela Editora Planeta. Outra homenagem será o Sarau Rubem Alves, que reúne literatura, arte, música e gastronomia. As duas atividades serão realizadas no Café Bistrô Rubem Alves, respectivamente dias 28 e 21 de julho. Além disso, a Planeta pretende relançar outros títulos do escritor.

Na biografia tocante e reveladora, Gonçalo Junior leva o leitor para o mundo singular desse humanista e revela segredos e detalhes de uma existência marcada pela pregação de ideias estimulantes que pretendiam levar as pessoas à transformação de si mesmas e das coisas à sua volta. “Este é um livro para chorar. Rubem teve uma vida absolutamente extraordinária, repleta de histórias de superação, de situações pelas quais passou escapando de armadilhas”, afirma Gonçalo Junior. “É um trabalho que me dá muito orgulho, feito num ritmo alucinante, em cerca de sete meses”, conta a escritor, citando que esta é sua 30ª publicação. “Já fiz outras biografias, mas levava de dois a três anos para concluí-las. Nesse caso tive uma estrutura que me permitiu ficar dedicado só a isso. Foi um mergulho louco.”

As dificuldades, segundo o biógrafo, começam no nascimento do escritor, em 1933, na cidade de Boa Esperança (MG). “No mesmo ano, sua família que era milionária, faliu e foi viver na fazenda de um parente, em que a mesa era um caixote, passando de podres de ricos a uma situação de quase miséria”, conta Junior. O livro joga luz também em aspectos quase desconhecidos da trajetória de Rubem, como a perseguição que sofreu dentro da Igreja Presbiteriana do Brasil, da qual era praticamente. A igreja, ligada à ditadura, o denunciou nos primeiros dias que se seguiram ao golpe militar de 1964 como um perigoso subversivo e comunista. “Depois de dedurado por um diretor do Colégio Presbiteriano de Lavras, que considerava amigo, mas que na verdade era um agente da CIA, o temor de ser preso o levou ao exílio nos Estados Unidos, onde desenvolveu uma tese de doutorado em que cunha o termo e traz à tona os fundamentos da Teologia da Libertação”, adianta o biógrafo.

Junior narra ainda a história de vida, os dramas pessoais, as amizades e relações familiares e a descoberta de duas doenças devastadoras que minaram sua saúde – um câncer e Mal de Parkinson - e sua paixão pelas coisas simples e pela vida. Rubem Alves se definia como um contador de histórias e afirmava que se não fosse escritor, seria jardineiro. “Ele foi um professor respeitado e um dos maiores palestrantes do Brasil sobre educação. Sua luta contra o câncer e o Mal de Parkinson e sua sede de viver foi que inspiraram o título do livro”, completa Junior, destacando que se trata de uma biografia autorizada, mas que não teve nenhuma interferência da família ou do Instituto Rubem Alves. “A Raquel e a Ana Paula, deram total liberdade para abordar o que quisesse e só leram o livro depois de concluído e impresso.”

Serviço: É Uma Pena Não Viver, de Gonçalo Junior, publicação da Editora Planeta, 496 págs., R$ 49,90.

Sarau Rubem Alves

Para homenagear um dos mais conceituados nomes da literatura brasileira, o Instituto Rubem Alves e o Café Bistrô Rubem Alves realizam um sarau multissensorial que reúne música, arte, gastronomia e literatura, paixões declaradas no escritor. O evento contará com a participação especial da jornalista Edlaine Garcia, declamando crônicas do autor; música ao vivo com o Trio Vocal Trappistas, liderado pelo maestro Wilson Nascimento, que apresenta uma das obras mais importantes do escritor, a crônica Ipê Amarelo, musicada pelo maestro Walter Nascimento; uma exposição exclusiva em homenagem ao autor do artista plástico Paulo Branco e um menu especial para harmoniza essa experiência.

Autor de uma vasta obra que soma cerca de 150 títulos, dos quais em torno de 55 infantis, traduzidos em pelo menos 12 idiomas, e apaixonado pela vida, Rubem Alves afirmava que ainda não tinha escrito todos os livros e textos que tinha em seu pensamento, nem amado, brincado e rido o bastante. (DM/AAN)

Agende-se

O quê: Sarau Rubem Alves

Quando: Terça (21/7), às 20h

Quanto: R$ 80,00 (convites limitados, inclui coquetel e bebidas não alcoólicas)

O quê: Lançamento e Noite de Autógrafos do livro É Uma Pena Não Viver, biografia escrita por Gonçalo Junior

Quando: 28/7, às 20h

Quanto: Entrada franca???

Onde: Café Bistrô Rubem Alves (Rua Emílio Ribas, 476, Cambuí, fone: 3395-6525)

Box

"A vida humana não se define biologicamente. Permanecemos humanos enquanto existe em nós a esperança da beleza e da alegria. Morta a possibilidade de sentir alegria ou gozar a beleza, o corpo se transforma numa casca de cigarra vazia(...)" - Rubem Alves?

Escrito por:

Delminda Aparecida Medeiros