Publicado 14 de Julho de 2015 - 21h01

Por Adagoberto F. Baptista

Eric Rocha

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

O deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) informou ontem à noite que o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência contra Jovens Negros e Pobres vai indicar a federalização das investigações da chacina que executou 12 pessoas em Campinas, em janeiro de 2014. Com isso, haverá uma solicitação ao Ministério Público Federal (MPF) para que ingresse com um incidente de deslocamento de competência que pode fazer com que a investigação e o processo judicial ocorra na esfera federal. O relatório final da comissão deve começar a ser votado a partir do meio-dia de hoje, em Brasília. De acordo com o deputado, que é o primeiro vice-presidente da CPI, a inclusão do pedido da federalização da chacina ocorreu porque o crime é considerado grave. “A CPI vai propor ao MP federal que a investigação e o encaminhamento do processo seja feito em âmbito federal”. As mortes em série aconteceram entre a noite do dia 12 e a madrugada do dia 13 de janeiro daquele ano, nas regiões do Ouro Verde e do Campo Grande. A chacina é considerada a maior da história da cidade. Policiais militares são apontados como os principais suspeitos do crime, que teriam acontecidos após a morte de um PM no Ouro Verde, um dia antes da sequência de assassinatos. Depois de terem a prisão domiciliar revogada, cinco ex-policiais militares voltaram a ser presos no mês passado, acusados de participação na morte do adolescente Joab Gama das Neves, de 17 anos. A investigação do Ministério Público Estadual (MPE) apurou que a morte do jovem foi a primeira da chacina.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista