Publicado 14 de Julho de 2015 - 19h34

Por Inaê Miranda

FOTOS: Dominique Torquato

Inaê Miranda

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

A Prefeitura de Campinas vai retomar as obras de extensão da Maria Fumaça no trecho de Campinas - entre a Estação Anhumas e a Praça Arautos da Paz – até dezembro. O projeto tem um custo estimado em R$ 5 milhões. O município já garantiu um crédito de R$ 2 milhões do Ministério do Turismo e o restante será financiado pela Administração através do Fundo Municipal de Apoio ao Turismo (Fatur). De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Social e Turismo, atualmente, a extensão do trem turístico está em fase de contratação do projeto executivo.

A ampliação do trajeto em dois quilômetros foi anunciada no governo Hélio e deveria ter sido entregue em 2011. A obra seria viabilizada através de convênio da Prefeitura com a Petrobras. Naquela época, o valor estimado da obra era de R$ 3,3 milhões, sendo R$ 1,5 milhão da Petrobras, R$ 1,5 milhão do Ministério do Turismo e R$ 370 mil da Prefeitura. Porém, erros no projeto paralisaram a obra e o contrato com a empresa responsável pela construção foi interrompido. O projeto foi refeito pela atual administração com a promessa de retomada das obras em junho de 2014.

O “esqueleto” do projeto inicial – seis pilares de concretos que serviriam de apoio para o elevado por onde a locomotiva passaria e 40 longarinas – pode ser visto na Praça Arautos da Paz e na Estação Anhumas, onde as longarinas estão depositadas e sendo corroídas pela ferrugem. Somente a construção dos pilares já custou R$ 1 milhão aos cofres públicos. O estado de deterioração das estruturas preocupa Hélio Gazetta Filho, diretor administrativo da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), que mantém a Maria-Fumaça. “O ferro exposto está enferrujando e daqui a pouco não tem mais aproveitamento”, disse. Gazetta afirma que a extensão do trajeto ampliaria o número de viajantes.

Samuel Ribeiro Rossilho, secretário de Desenvolvimento Econômico, Social e Turismo, afirmou ontem que o atraso ocorreu porque o projeto precisou ser refeito e para garantir a verba do Governo Federal, que já está assegurada. Atualmente, a ampliação da Maria Fumaça está na fase de termo de referência, ou seja, de contratação do projeto executivo. Na sequência será aberta a licitação para início das obras. O novo prazo dado pela Administração para que isso aconteça é em dezembro deste ano. Além das correções, o atual projeto prevê a construção de uma estação temática na Praça Arautos da Paz. Sobre o estado de deterioração das longarinas, o secretário afirmou que elas passarão por análise técnica para saber se ainda poderão ser aproveitadas ou não.

O prolongamento da Maria Fumaça é aguardado desde 2007 e era um dos projetos mais importantes do prefeito cassado de Campinas, Hélio de Oliveira Santos (PDT). Ao todo, a obra vai acrescentar 2,013 km ao já existente trecho que liga Campinas a Jaguariúna - sendo que 480 metros serão em formato de viaduto sobre o Ribeirão Anhumas e na chegada à Arautos da Paz. O passeio é um dos principais roteiros de turismo na região. Sai de Campinas, na Estação Anhumas, e vai até Jaguariúna.

Escrito por:

Inaê Miranda