Publicado 14 de Julho de 2015 - 16h44

Foto: AFP

Fábio Trindade

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

O impacto na cultura regional e até nacional causado pela instabilidade política de Paulínia, que afeta diretamente o Polo Cinematográfico da cidade e, claro, o Festival de Cinema, ainda é gigantesco, mas uma luz no fim de túnel promete dar um respiro para esse momento ruim da região quando o assunto é a sétima arte. Uma luz que vem de uma importante cidade vizinha que, até então, não tinha muita tradição no assunto. Não tinha.

Pois é, Sumaré, quem diria, será a sede do Festicini, 1º Festival Internacional de Cinema Independente. Com cerimônia de abertura marcada para o dia 17 de outubro, seguida de 10 dias de exibições de obras do mundo todo e uma cerimônia de premiação para encerrar o evento no dia 31 de Outubro, a iniciativa, organizada pela DZ7 Produções Artísticas – com apoio da Prefeitura de Sumaré e patrocínio da Honda –, colocará, definitivamente, o município no circuito cinematográfico brasileiro.

“Paulínia sempre foi uma grande oportunidade para todo mundo que trabalha com cinema. Tanto que já rodamos diversos curtas na região, em Campinas, Hortolândia, Sumaré e mesmo em Paulínia, mas infelizmente a atual situação deixou o mercado muito em baixa. Precisávamos achar um jeito de promover a difusão e a democratização da produção audiovisual independente, e Sumaré abraçou a ideia de prontidão”, explica Carlos Braga, idealizador do festival ao lado de Wilson Roque Basso, produtor nascido e criado em Sumaré. “A cidade, como não poderia ser diferente, tem um papel importante na nossa história e poder realizar algo assim nela deixa tudo mais especial”, completa.

O festival conta com quatro categorias principais: curta-metragem ficção, curta-metragem documentário, média-metragem e longa-metragem, além de premiar os principais profissionais envolvidos numa produção cinematográfica, como atriz, ator, fotografia, direção, roteiro original, roteiro adaptado, música original, montagem e som, entre outras. As inscrições, abertas em junho, podem ser feitas até 30 de agosto por trabalhos independentes finalizados entre 2012 e 2015.

“Fizemos uma divulgação grande no meio, produzimos material em inglês e espanhol para atingir outros países, e todas as secretarias de Estado do Brasil fizeram a divulgação do festival. Mesmo assim, sem dúvida, a repercussão tem sido muito além das nossas expectativas”, confessa Braga.

O motivo para isso é que, apenas nesse primeiro mês de inscrições, o Festicini recebeu cerca de 150 trabalhos de 60 países, como Grécia, Turquia, Holanda e Inglaterra. “Obviamente, a maioria vem daqui mesmo, de Estados como Rio Grande do Sul, Amazonas, Rio de Janeiro e São Paulo. Mas a participação internacional também é bem significativa, principalmente da Argentina e do México”, lembra o produtor. Até o momento, 60% dos trabalhos inscritos são curtas, mas o festival já recebeu oito longas-metragens também, segundo a produtora.

Ao fim das inscrições, serão selecionados 30 trabalhos para participar da mostra competitiva, e todos serão exibidos gratuitamente no Anfiteatro do Centro Administrativo de Nova Veneza. Além disso, os produtores estão em negociação com a Prefeitura de Sumaré para ter um outro local na cidade para promover uma mostra paralela com filmes que se inscreveram no Festicini, mas não entraram na competição – o local, os dias e horários das duas mostras estarão no site oficial do evento (www.festicini.com.br). “Temos muita coisa pela frente ainda, mas já podemos dizer que o festival já é um enorme sucesso”, afirmou Braga. A 2ª edição, garante, já está em negociação para o ano que vem.

Box

A organização do 1º Festicini prepara oficinas gratuitas de cinema (roteiro, produção, direção, etc) para os meses de agosto e setembro. As datas, horários e opções serão divulgadas em breve no site do festival e, os interessados, podem entrar em contato pelo e-mail [email protected]

Quadro – Premiações

Melhor Filme Longa-metragem - R$ 9.000,00

Melhor Filme Média-metragem - R$ 6.000,00

Melhor Curta Ficção - R$ 3.000,00

Melhor Curta Documentário - R$ 3.000,00

*As demais categorias serão agraciadas com troféus