Publicado 13 de Julho de 2015 - 19h18

Por Raquel Valli

Raquel Valli

[email protected]

Do Correio.com

Fotos enviadas para o digital

Apesar de uma junta de quatro veterinários ter constatado os maus-tratos de oito cachorros que foram resgatados em maio, em um canil clandestino, em Campinas, o juiz José Evandro Mello Costa do Fórum Regional da Vila Mimosa devolveu os animais para o antigo dono, um estudante de medicina-veterinária, suspeito de maltratar os animais.

Os animais seguem em tratamento depois de terem sido resgatados há quatro meses (foto) pela Guarda Municipal (GM). Trata-se de seis spitz alemão e dois lhasa apso que sofrem com um surto de sarna, problemas oculares, dentários e de ouvido. Apresentam desvio de comportamento, e, dois deles tiveram de ser operados com urgência - um com uma pedra na bexiga e uma fêmea com inflamação no útero. Um dos cães está com atrofia muscular devido ao confinamento em gradis.

"O Judiciário teve ciência dos fatos e permitiu, com a sentença, que os maus-tratos continuem", afirma a advogada Larissa Vida, do grupo de proteção animal OperaCÃO Resgate. O grupo cuidou dos animais desde que eles foram resgatados pela GM e não se conforma com o veredito.

Cuidados

Com doações, pagou todo o tratamento até agora e gostaria de continuar cuidando dos animais. Entretanto, não cabe recurso, e, por isso, não terá como apelar da sentença.

"Os cachorros não podiam ter sido devolvidos para quem os maltrata", afirma Larissa. "Isso não podia ter acontecido. O Judiciário não se preocupou com o bem-estar animal, previsto em lei. No processo não constam as justificativas para o juiz ter devolvido os cães. Os maus-tratos foram constatados, e, por isso, nem estavam em discussão".

A reportagem procurou o juiz nesta segunda-feira (13), mas ele entrou em recesso até a semana que vem.

A juíza Maristéla Tavares de Oliveira Farias, que substitui Mello Costa nesse período também foi procurada, mas a assessoria da magistrada informou que Maristéla não tem conhecimento suficiente do processo para dar explicações e pediu que a reportagem volte a procurar o juiz na próxima semana.

A pena estipulada por Mello Costa para o estudante de veterinária é o pagamento de R$ 2,1 mil em cestas-básicas, que serão doadas a uma entidade assistencial de Campinas.

A advogada do OperaCÃO Resgate se preocupa ainda com a perpetuação da exploração dos animais, que servem para procriação. "O canil não emitia notas fiscais, o que recai, ainda, em transgressão administrativa, e o o juiz não ordenou a castração".

O resgate

Os oito cães foram resgatados pela Guarda Municipal de Campinas, que desmantelou o canil clandestino no dia 5 de maio, no Jardim Londres, próximo ao Campinas Shopping.

No momento do resgate, "seis deles estavam presos, trancados em um quarto escuro", relatou o GM Alexandre Rangel. A apreensão foi feita por Rangel e pelo guarda Wagner Inácio.

Os guardas encaminharam o estudante dono do canil para a 2ª Delegacia Seccional de Campinas, e um termo circunstanciado foi registrado pelo delegado Rodrigo Otávio Aydar Monteiro.

Escrito por:

Raquel Valli