Publicado 05 de Julho de 2015 - 15h12

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

Jaqueline Harumi

Da Agência Anhanguera

[email protected]

A Polícia Civil de Valinhos prendeu neste fim de semana um mecânico de 50 anos, morador de Vinhedo, suspeito de ser autor de quatro estupros de alunas de escolas municipais e estaduais de Valinhos de 12 a 14 anos de idade desde o fim do ano passado, sendo que em um deles houve penetração.

Um mandado de prisão temporária, válido por cinco dias, foi cumprido na manhã de sábado depois que uma garota de 12 anos o denunciou à polícia, passando características físicas e da Fiorino escura que ele sempre está dirigindo, inclusive informando os números da placa do veículo. Com essas informações, a equipe de investigação conseguiu tirar uma foto do suspeito. Ele foi reconhecido pela vítima e o perfil bate com o de outros três estupros registrados.

“A Guarda Municipal tinha uma informação de que tinha uma caminhonete circulando por escolas municipais e estaduais com gestos obscenos e exibindo o órgão genital há pelo menos seis meses”, afirmou o delegado Sandro Eduardo Jonasson, responsável pela investigação, que deve ouvir as outras três vítimas hoje e espera relatar o inquérito, pedindo a prisão preventiva. “Esse sujeito tem um vasto histórico de delitos sexuais. O DVC [ficha criminal] tem mais de 30 folhas. A grande maioria com delitos sexuais”, ressaltou.

De acordo com o depoimento da garota que resultou na prisão temporária, o homem já a seguia, assediava e ameaçava de morte, inclusive a seus pais, há alguns meses, mas na semana passada ele a puxou pela perna com o órgão genital à mostra. O autor do abuso teria feito várias tentativas de chegar à relação sexual com a vítima, dando doces e balas e prometendo um iPhone.

Segundo as apurações, o mecânico possui família, que acreditou na sua reabilitação, pois estava inclusive frequentando uma igreja evangélica. Para a polícia, o aparente bom comportamento foi possível porque os assédios aconteceram na cidade vizinha. “Próximo do horário de saída das escolas ele saía de Vinhedo, se não todo dia pelo menos três vezes por semana”, relatou o delegado. Apesar de não ter tido o nome divulgado, o homem foi descrito como branco de cabelo castanho escuro começando a ficar grisalho, com 1,70 m de altura. Ele está preso em Sorocaba.

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa