Publicado 03 de Julho de 2015 - 19h05

Por Paulo César Dutra Santana

Paulo Santana

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Sem tempo para treinar, com dois desfalques importantes no meio e duas dúvidas no ataque, a Ponte Preta busca a reabilitação no Campeonato Brasileiro jogando como “visitante”, hoje, às 18h30, diante do Palmeiras. A partida, que seria em Campinas, foi transferida para Arena Pantanal, em Cuiabá, por questões financeiras. A empresa Roni7 pagou R$ 1 milhão para o clube campineiro aceitar a mudança.

Sabendo que é certa a presença de mais palmeirenses do que ponteprenos nas arquibancadas, os jogadores estão se preparando para encarar o clima hostil. “Não sei explicar porque, mas prefiro jogar como visitante. Acho que é porque a torcida adversária me desafia e gosto disso”, assegura o zagueiro Pablo.

O goleiro Marcelo Lomba prefere contar com o apoio do seu torcedor, mas afirma não se incomodar se o incentivo maior for para o rival. “Gosto de jogar em casa com apoio da nossa torcida, mas tem um outro lado que é o da torcida adversária desafiar. Isso realmente me motiva. Encaro como mais um jogo complicado em que teremos que buscar o nosso melhor para vencer”, garante.

O técnico Guto Ferreira gostaria que a partida fosse em Campinas porque evitaria o desgaste com viagem e também permitiria uma melhor preparação da equipe, que jogou anteontem e não teve tempo para treinar. “Mas entendo a necessidade da diretoria. A gente vai se preparar da melhor maneira possível para buscar uma boa vitória e seguir forte na competição”, disse.

Para o treinador, a derrota para o Corinthians precisa ficar no passado. “Temos que ter a consciência de tudo o que foi feito em campo e, em cima disso, reforçar a autoestima. Todos saíram abatidos, mas o campeonato não para. Temos este jogo importante e vamos com a maior disposição”, ressalta.

Guto não falou das possibilidades de mudança. As principais alternativas para a vaga de Fernando Bob, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, são Paulinho, mais defensivo, e Vítor Xavier, mais voluntarioso no ataque. Para o lugar de Renato Cajá, também suspenso, Adrianinho surge como primeira alternativa e Roni corre por fora na preferência do treinador.

Os atacantes Biro Biro e Diego Oliveira deixaram o campo machucados, mas viajaram com a delegação. Iniciaram tratamento intensivo e ainda não estão garantidos entre os titulares. No mais, o time será o mesmo da derrota para o Timão, por 2 a 0, em São Paulo. Com 16 pontos, a meta é permanecer entre os 10 primeiros colocados do Brasileirão.

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana