Publicado 03 de Julho de 2015 - 15h50

Por Alenita de Jesus

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: César Rodrigues

Uma quadrilha com ao menos oito homens encapuzados e armados com fuzis, metralhadoras e escopeta invadiu, por volta das 12h de ontem, o banco Bradesco que funciona dentro da Centrais de Abastecimento Campinas S/A (Ceasa), em Campinas. Três dos bandidos fizeram um arrastão no corredor onde ficam os bancos, fazendo cerca de 10 pessoas que estavam pelo local reféns.

Outros quatro criminosos invadiram o banco. Diante da negativa do vigilante em permitir a entrada do bando, eles usaram uma marreta para quebrar uma parede de vidro ao lado da porta giratória. Segundo testemunhas, eles agrediram com coronhadas o vigia e o gerente administrativo, que foram rendidos na ação. Os bandidos ficaram no local por cerca de cinco minutos.

Segundo testemunhas, ele chegaram em um Sandero, que ficou estacionado quase em frente ao banco.Eles desceram do veículo e subiram a pé por uma rampa que dá de frente para uma farmácia. Um dos criminosos, encapuzado e armado de escopeta, entrou no estabelecimento e rendeu um balconista de 42 anos. A vítima foi arrastada pela gola da camiseta para fora do estabelecimento e levada, com outras pessoas que passavam pelo local, para o setor de autoatendimento do banco Bradesco, onde foram obrigadas a se deitarem no chão.

Um vigilante da Ceasa que estava entre a farmácia e o Banco do Brasil (BB) levou chutes e socos dos criminosos. “Eles gritavam muito. Deu muito medo”, contou uma funcionária de um estabelecimento nas proximidades. “Quando soubemos da invasão dos bandidos, corremos para os fundos e ficamos escondidos”, acrescentou.

Enquanto os reféns eram mantidos deitados, um dos bandidos que estava do lado de fora deu pelo menos três tiros. Segundo uma das vítimas, os criminosos que estavam no banco determinaram que não era para atirar. Depois de retirar o dinheiro do caixa, cujo montante não foi informado, um dos ladrões foi até a farmácia e roubou R$ 1,1 mil.

Na fuga, os bandidos levaram três clientes do banco como reféns. As vítimas foram colocadas no porta-malas do veículo e libertados na Rodovia Dom Pedro I. Elas caminharam até um posto de combustível para pedir ajuda. Os feridos foram socorridos na enfermaria que funciona na Ceasa. Ninguém foi preso até a tarde de ontem.

O helicóptero Águia e uma equipe do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep) deram apoio para ajudar nas buscas pelos suspeitos. O carro foi abandonado em uma estrada de terra a dois quilômetros da Ceasa, no bairro Vila Esperança. Dentro do veículo, que a polícia acredita ser roubado ou furtado, foram encontradas munições de calibre .40 e vários objetos. A chave estava na ignição.

O Bradesco informou, por meio de nota enviada ao Correio Popular, que a agência ficou fechada no período da tarde e voltará a funcionar normalmente na segunda-feira.

Escrito por:

Alenita de Jesus