Publicado 03 de Julho de 2015 - 18h44

Por Agência Estado

Lucas Lima pediu mais atitude para a equipe sair da situação difícil na tabela do Brasileirão

Ricardo Saibun/Santos FC

Lucas Lima pediu mais atitude para a equipe sair da situação difícil na tabela do Brasileirão

Alvo de clubes da Europa, em especial o Porto, o meia Lucas Lima garantiu que não pretende deixar o Santos na atual janela de transferências. O jogador recebeu uma boa proposta do clube português, mas decidiu permanecer na Vila Belmiro, alegando que os valores não foram interessantes para todos os lados da negociação. Ele deixa claro que seu pensamento está apenas na disputa do Campeonato Brasileiro, no qual a equipe alvinegra não anda muito bem, após perder por 2 a 1 para o Fluminense, na última quinta-feira (2).

"Sempre deixei claro que, se fosse para sair, teria que ser uma coisa boa para o Santos e para mim, algo irrecusável. Recebi algumas propostas que não foram irrecusáveis e por isso decidi ficar no Santos. Minha cabeça está focada na equipe e, desde o começo do ano, eu digo que quero permanecer aqui e chegar à Seleção com a camisa do Santos", disse o meia.

Para "compensar" o fato de não deixar o clube e receber uma boa quantia financeira, o meia ganhará um aumento da diretoria santista. Apesar da promessa de que continuará na equipe, o meia ainda pode receber ofertas nos próximos dias, já que outros clubes também monitoram sua situação.

Tentando ficar alheio a tudo isso, o jogador admite preocupação com a situação do Santos no Campeonato Brasileiro e pede atitude de todo o elenco para reverter a situação, já que a equipe ocupa a perigosa 16ª colocação na tabela, sendo o primeiro fora da zona de rebaixamento.

"Não temos que ficar lamentando. Agora é trabalhar para ganhar confiança. Temos que tomar atitude nessas horas e voltar a vencer, porque continuar nessa situação é complicado. Faltou atenção diante do Fluminense. Quando o jogo ficou bom para nós, conseguimos empatar e tínhamos que ter partido para cima para virar", comentou.

Escrito por:

Agência Estado