Publicado 01 de Julho de 2015 - 17h55

Por Agência Estado

Robinho (à esquerda) se despede do técnico Marcelo Fernandes

Ricardo Saibun/Santos FC

Robinho (à esquerda) se despede do técnico Marcelo Fernandes

Após o Santos ter confirmado o encerramento das negociações para a renovação de contrato do atacante Robinho, não resta outra alternativa ao técnico Marcelo Fernandes do que lidar com a situação e pensar na equipe sem seu principal jogador. Para deixar claro que não se sente ainda mais pressionado, o treinador lembrou outros dois ídolos do clube e do futebol brasileiro para explicar que o Santos tem tudo para fazer bonito no Campeonato Brasileiro mesmo sem o jogador.

"O reflexo da saída dele foi lá atrás, quando ele foi para a Copa América. Conseguimos provar que sem ele e sem o Lucas Lima podemos jogar bem, como aconteceu contra o Corinthians. A equipe tem se portado bem e vida que segue. Queríamos muito que ele ficasse, mas foi uma escolha profissional dele. O Pelé parou, Neymar foi embora e agora é a vez do Robinho", minimizou o treinador.

Os números mostram a importância de Robinho. Com ele em campo, o Santos tem 71,66% de aproveitamento na temporada. Quando precisa jogar sem ele, o rendimento cai para 48%.

Além do discurso, outra forma do Santos conseguir amenizar a saída do atacante é com a chegada de reforços experientes. O treinador lembrou que a equipe já conta com Renato, Elano e Ricardo Oliveira, além de jovens de qualidade, mas novas peças precisam chegar.

"Temos várias opções em andamento. Vários nomes sendo estudados. O Santos sabe que precisa se qualificar e precisamos de jogadores experientes para dar maturidade para a molecada", completou Marcelo Fernandes.

Sem Robinho, o Santos vai enfrentar o Fluminense nesta quinta-feira (2), às 21h, no Maracanã, com o trio de ataque formado por Gabriel, Geuvânio e Ricardo Oliveira.

Escrito por:

Agência Estado