Publicado 10 de Julho de 2015 - 22h19

Por Renata Rondini

O volante Juninho tenta dominar a bola durante aquecimento da Ponte Preta, que tem desafio difícil no Moisés Lucarelli

César Rodrigues/ AAN

O volante Juninho tenta dominar a bola durante aquecimento da Ponte Preta, que tem desafio difícil no Moisés Lucarelli

Há três rodadas a Ponte Preta não vence no Campeonato Brasileiro e hoje à noite tem a chance de se redimir diante justamente de seu torcedor. Mas vai ser uma pedreira, afinal de contas, a Macaca recebe às 21h, no estádio Moisés Lucarelli, pela 13ª rodada, o Atlético-MG, líder e dono do melhor ataque da competição com 26 gols (média de 2,16 por partida). O Galo não sabe o que é perder há seis partidas e tem mostrado um padrão de jogo regular e de alta qualidade ofensiva.

O técnico Guto Ferreira reconhece o potencial do adversário, mas garante que o elenco pontepretano não teme a missão que está por vir. “A campanha do Atlético dispensa qualquer comentário. Se entrarmos temendo o time do Atlético, será o primeiro passo para não ter sucesso. Respeito sim, temor jamais. Jogando em casa, com o apoio do torcedor que virá ao estádio, temos grandes chances de conquistar esses três importantes pontos para nós neste momento”, comentou o treinador.

Diante de um ataque poderoso, o goleiro Marcelo Lomba, um dos destaques da Macaca nos últimos jogos, garante que atenção não faltará ao setor defensivo dos donos da casa. “Toda atenção é pouca. Além de qualidade, o time deles tem variedade. Jogadores que chegam de trás. Temos que nos armar muito bem, com todos ajudando e focados no trabalho da defesa. Assim, o meu será facilitado. Precisaremos de atenção redobrada. A gente, em casa, no gramado que conhecemos e com o apoio da torcida, temos tudo para fazer os 90 minutos sem vacilo. O Atlético não pode ter oportunidade”, afirmou.

O goleiro reforça que uma vitória diante do líder será importante para o time embalar de novo no Brasileirão. “O trunfo no campeonato é a regularidade e estamos em busca dela. Nós começamos muito bem e agora os adversários também estão começando a anular algumas saídas nossas, mas estamos treinando ainda mais para criar novos escapes. Acredito que o jogo do Atlético é para recuperar a confiança, com o apoio da torcida. Se Deus quiser vamos sair com a vitória e acredito que vamos sair mais fortalecidos”, analisou.

Rachão

No último treino antes da partida, Guto Ferreira optou por um rachão para dar mais tranquilidade ao grupo e evitar o desgaste físico. Com o rachão a gente alivia a parte mental do jogador, que está sob tensão. Antes se trabalhava em volume, mas hoje volume não é o diferencial. Hoje é intensidade”, explicou o treinador pontepretano.

Escrito por:

Renata Rondini