Publicado 08 de Julho de 2015 - 18h44

Por Paulo Santana

Torcida da Ponte dá seu apoio ao time

Cedoc/RAC

Torcida da Ponte dá seu apoio ao time

A Ponte Preta teve o jogo nas mãos e poderia ter liquidado o Coritiba ainda no primeiro tempo da partida desta quarta-feira (8), no Estádio Couto Pereira, em Curitiba, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas desperdiçou todas as grandes oportunidades criadas e, na etapa final, tomou sufoco. Com as mudanças processadas pelo técnico Guto Ferreira, o time acabou recuando demais. E por muito pouco não saiu de campo lamentando nova derrota.

Com o empate por 0 a 0, a Macaca chegou ao seu terceiro jogo seguido sem vitória. Nas últimas sete partidas do Brasileiro, conseguiu apenas um triunfo — 2 a 1 diante do Atlético-PR. Foram ainda três empates e três derrotas. Com 17 pontos, segue em posição intermediária na classificação. O próximo desafio está marcado para sábado (11), às 21h, no Moisés Lucarelli, diante do perigoso Atlético-MG.

Foi um primeiro tempo bastante movimentado. A Macaca dominou as ações e marcou o Coxa, que não teve espaço e jogou basicamente nos contragolpes. O primeiro lance de perigo surgiu aos 12'. Depois de boa troca de passes pelo meio, Renato Cajá rolou na medida para Juninho, que chutou. A bola desviou na zaga.

Aos 25', Renato Cajá deixou Felipe Azevedo livre na área, mas o atacante foi muito mal e finalizou em cima do goleiro, que saiu bem. Em outra boa jogada da Macaca, aos 33', Felipe Azevedo disparou uma bomba da intermediária. A bola acertou o travessão e, na sequência, bateu em cima da linha. A TV mostrou que a bola não entrou.

O primeiro chute a gol do Coxa foi aos 27', quando Esquerdinha arriscou de fora da área e Lomba segurou sem maiores problemas. Aos 36', o time da casa teve nova chance com Galhardo, mas, novamente, o goleiro da Ponte não deu rebote.

No 2º tempo, o Coritiba melhorou. Aos 14', Raphael Lucas escapou em velocidade pelo meio e ele só não abriu o placar porque Marcelo Lomba fez grande defesa e evitou a conclusão.

Aos 33', o Coxa teve sua melhor chance de vencer. O lateral Henrique bateu cruzado, Lomba fez outra bela defesa e, no rebote, Marcos Aurélio acertou bom chute. A bola só não entrou porque Pablo se jogou sobre ela e desviou para a linha de fundo.

O time da casa pressionou bastante nos minutos finais. Já a Ponte Preta demonstrou cansaço e recuou demais. Por isso, sofreu para segurar o empate.

Na saída do gramado, o zagueiro Renato Chaves soltou o verbo. "Todo mundo que entra em campo tem que brigar para não deixar o time sofrendo lá atrás. É preciso brigar pelo time como um todo", afirmou, fazendo clara referência a Cesinha, Borges e Leo Costa, que entraram e deixaram a equipe sem poder de marcação.

Escrito por:

Paulo Santana