Publicado 15 de Julho de 2015 - 21h37

Por Agência Estado

O nadador João de Lucca mostra a medalha de ouro

France Press

O nadador João de Lucca mostra a medalha de ouro

Bicampeão universitário dos Estados Unidos na prova de 200 jardas livre, João de Lucca nunca havia conseguido mostrar, nas piscinas medidas em metros, o mesmo potencial apresentado na NCCA. Nesta quarta-feira (15), tudo mudou. O brasileiro teve um final de prova impressionante para vencer os 200m livre nos Jogos Pan-Americanos e, depois de seis anos, derrubar um dos mais longevos recordes da natação brasileira.

Exatamente no dia em que pode se isolar como recordista brasileiro em número de medalhas pan-americanas, Thiago Pereira perdeu seu único recorde nacional que não no nado medley. Foram seis anos como melhor do País, com 1min46s57, até o show de João de Lucca em Toronto.

Afinal, o carioca, que virou em sexto a primeira metade da final do Pan, fez 100 metros impressionantes, a ponto de chegar com mais de um corpo de vantagem sobre o segundo colocado. Ganhou ouro com 1min46s42 e entrou para a história da natação brasileira. Desde a proibição dos trajes tecnológicos, exatamente ao fim da temporada 2009, só cinco recordes sul-americanos foram batidos, sendo dois por argentinos, em provas de fundo - em que o traje não influenciava tanto.

Nicolas Oliveira também fez uma grande prova. Completou a final em 1min47s81, mas terminou só no quinto lugar, por detalhes, em uma prova muito forte. A prata foi para o argentino Federico Grabich (1min47s42), seguido do norte-americano Michael Weiss (1min47s63). Os três fizeram tempos entre os 30 melhores do mundo. João de Lucca agora é o nono do ranking.

FUTEBOL FEMININO

O Brasil atropelou o Equador na sua segunda partida na competição de futebol feminino dos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Com um show de Cristiane, que marcou cinco gols, a Seleção goleou por 7 a 1. A partida foi disputada em Hamilton, cidade 70 quilômetros distante de Toronto.

De maneira surpreendente, o Equador saiu na frente, aos quatro minutos do primeiro tempo, com Pesantes. O Brasil não demorou muito para empatar com Mônica, aos 16, depois da primeira bobeira da defesa rival.

O baile de Cristiane começou aos 43 minutos, quando a atacante fez o seu primeiro gol, de cabeça, após grande jogada de Formiga. No segundo tempo, Cristiane tomou conta do jogo, principalmente nas jogadas pelo alto, e balançou as redes aos 10, 21, 25 e 32.

Com imensa facilidade, Maurine arriscou de longe aos 39 e fechou a goleada. Para o Equador, o baile não é novidade. Afinal, no mês passado, também no Canadá, a equipe perdeu de 6 a 0 de Camarões e de 10 a 1 da Suíça.

Foi a segunda vitória do Brasil, que na estreia, sábado (11), bateu a Costa Rica por 3 a 0. A Seleção volta a campo no domingo (19), às 21h35 (de Brasília), quando enfrenta o Canadá. O jogo vale a liderança do Grupo B.

Escrito por:

Agência Estado